Pesquisar este blog

Traduzindo

quarta-feira, 29 de julho de 2015

DISSOLVENDO O VÉU


DISSOLVENDO O VÉU
Mensagem de Judith Coates
22 de Julho de 2015


Amado, agora nós iremos falar como olhar através do véu da separação, 
como se mover desta dimensão que parece tão real para a Realidade 
– “R” com letra maiúscula – além do véu das aparências.

Você quer saber: “Quem sou eu? Onde estou? Do que tudo isto 
se trata?” 

Você está tendo os pontos de interrogação de como pode ser a 
vida, e fica se perguntando: “Há mais na vida do que estou 
experienciando?” E você sabe que a resposta é: “Sim, há muito mais.”

Assim, eu lhe digo: O primeiro passo para dissolver o véu é saber, 

acreditar, aceitar que há mais.

Agora, há muitos irmãos e irmãs que lhe dirão: “Isto é tudo o que há. 
Você nasceu, você cresceu, você vive alguns anos e, então, se tiver 
sorte, pode deitar o corpo na cama, em paz.”

Se assim não for, você pode ter o que é chamado de acidente ou 

algo que lhe aconteça.
Na verdade, nada lhe acontece que você já não tenha convidado para 
estar em sua experiência.

Mas quando você reconhecer que, talvez, haja algo muito mais na 
vida do que apenas o que você vê diante de você, com os olhos 
físicos, você já deu o primeiro passo para reconhecer que o véu, 
como eu o chamei, está realmente se tornando mais fino a cada vez 
que você tem o que é chamado de experiência de despertar.

Passo número 2 – O 1º passo era reconhecer que há mais. O 2º passo 
é passar algum tempo em meditação, passar um tempo fora do reino 
das aparências, interiorizar-se. Eu lhe sugeri que você passasse pelo 
menos 15 minutos em meditação, todos os dias. E, espero, como eu disse 
muitas vezes, quando você passar 15 minutos, que seja tão bom que você 
queira mais, e passe meia hora.

Agora, eu sei que você tem uma agenda lotada, e você pode ter um 
empregador que espera que você introduza pelo menos oito horas 
todos os dias e provavelmente mais, mas eu diria que verdadeiramente 
Aquele que o está empregando - em outras palavras, o seu Eu Superior, 
gostaria de sugerir que você introduzisse pelo menos 15 minutos, 
meia hora, talvez até mesmo o estenda para uma hora se puder; depois 
de algum tempo, não no início.

É como todos os exercícios que você faz. Você começa o exercício com 
um tempo curto, e então, você aumenta o tempo que pode, para continuar 
fazendo o exercício. Assim, é a mesma coisa com a meditação, porque 
quando se senta em silêncio e se interioriza, parece muito estranho 
o que você traz para experienciar. Às vezes, você fica um pouco 
impaciente e você quer se levantar e se movimentar, porque é isto o 
que você sempre experienciou.

Então, ao se interiorizar no espaço tranquilo, a mente lhe dirá que você 
está “perdendo tempo”. Você deveria estar fazendo alguma coisa. Mas 
esta é a maneira do mundo, e esta é a linguagem do mundo. Então, você 
diz para esta voz: “Está bem, mais tarde.” E você se senta lá por algum 
tempo e escuta.

Isto é tudo o que você tem a fazer. É a própria simplicidade, sentar-se 
em uma posição confortável. Não o faça se estiver desconfortável e 
quiser sair desta posição. Sei que há determinadas posições que são, 
supostamente, mais sagradas do que outras, mas eu lhe digo que se não 
for confortável, o corpo começará a reclamar e, então, você terá que prestar 
atenção ao corpo. Portanto, encontre uma posição confortável, onde possa 
estar tranquilo e possa se interiorizar e ouvir.

No início, é provável que você não tenha grandes revelações. Talvez você 
diga: “Bem, eu não sei se isto valia alguma coisa. Nada veio para mim, 
exceto que eu pensei em meu primo Harold, em minha tia, e em meu 
amigo que está passando por uma certa aventura ou desafio.”

Muitas idéias, pensamentos e visões passam pela mente inicialmente. 

Não há problema algum. Não tente interromper estas idéias e 
pensamentos, porque quando você o fizer, estará se concentrando em 
tentar interromper todas as idéias e a mente ficará muito, muito, ocupada. 
Assim, permita que todos os pensamentos passem. Não passe muito tempo 
com eles, mas permita que eles passem. Deixe a mente se fatigar e, então, 
você chegará ao espaço tranquilo.

Nas primeiras vezes, talvez até mais do que algumas, quando tentar fazer
 isto, terá muitas idéias e pensamentos diferentes que querem a sua 
atenção. Permita. E quando praticar isto, você saberá que isto é realmente 
um presente que você se dá – um presente de um tempo tranquilo. E ainda 
que não tenha grandes revelações no início, pelo menos você permitiu 
que o corpo descansasse, e há muitos benefícios nisto.

Mais tarde, você pode perceber que ouvirá uma voz, ou terá uma ideia. 
Haverá algo que chega até você, que não estava programado, de acordo 
com a atividade da mente. Será algo que apenas se propõe a você. Ouça. 
Não tente analisar. Apenas ouça, ou apenas veja, porque você pode ser 
clarividente e pode ter experiências visuais. Ou pode ouvir algo.

Mas, acima de tudo, esteja atento. Quando algo vier à mente, você 
pode tomar conhecimento do mesmo e, então, deixá-lo passar. Se 
for importante, ele retornará para você. Se não for importante e estiver 
apenas de passagem, ele irá passar. Quando você se permite estar no 
espaço da receptividade, há muitas coisas que podem chegar a você e 
que virá a você depois de algum tempo.

No início, é como algo novo, será estranho. Parecerá que: “Por que estou 
perdendo tempo fazendo isto, quando poderia estar fazendo outra coisa?” 
Mas quando você se permite interiorizar no silêncio e na voz tranquila, 
há revelações de novos mundos que vêm até você. Inicialmente, novos 
mundos, e, então, mais tarde, haverá o espaço vazio, o espaço de cura 
apenas, o espaço de apenas conhecer, o espaço que não tem que ser 
preenchido com pensamentos. Você ficará lá por algum tempo, e 
será muito bom.

Quando você alcançou o sentimento do não pensamento, sem dúvidas, 
apenas o vazio e se sente confortável, você está atravessando o véu 
que criou para si mesmo, o véu que diz: “Isto é tudo o que há, apenas 
as aparências, apenas todas as atividades que os meus amigos e eu 
estamos vivenciando.”

Você criou uma experiência para si mesmo, que é mais importante. 
Você experienciou o espaço que está além do conhecimento desta 
realidade – com “r” minúsculo. Quando você está no espaço do que 
parece ser o vazio e, no entanto, é como o espaço exterior, o que você 
chama de espaço profundo entre todos os universos e sistemas 
solares, você está entrando no que parece ser um território 
desconhecido, e, no entanto, é um estado que você conhece bem. 
É um espaço de amor, um espaço onde você se encontra aceito 
no amor.

Você pode trazer a este espaço uma ideia de alguém, mas, na verdade, 
é o próprio Amor, o Ser sagrado que você é, e você terá uma 
enorme sensação de felicidade, de alegria, de aprovação.

Agora, não seja impaciente com você mesmo. Se nada vier no primeiro 
dia, na primeira semana, ou no primeiro mês, não diga: “Bem, eu tentei 
e não funcionou.” Isto é o que eu vejo muitas vezes, com outras 
pessoas. É necessário um pouco de disciplina, um certo espaço 
de dizer: “Sim, isto vale a pena. Vou perseverar nisto.”

Compartilharei com você que isto é valioso. Era algo que eu conheci 
quando criança e, no entanto, era algo que eu tive que renovar em 
minha experiência. Eu era muito feliz nisto, pois tinha pais, amigos 
e professores que conheciam o valor de uma meditação profunda. 
Eles me diziam, mesmo quando eu estava em uma idade jovem e ativa, 
que é bom estar no silêncio. Agora, os jovens não gostam realmente 
de estarem em silêncio. Eles gostam de ter atenção de imediato, e eles 
gostam de experimentar a voz.

Assim, como eu já disse, não seja impaciente com você. Saiba que 
realmente é um prêmio valioso. Sei que não lhe foi ensinado isto em 
seu mundo. Seu mundo diz que você deve agir, deve realizar, deve ser 
ativo. Mas, na verdade, eu lhe digo que a coisa importante que irá levar 
com você, depois de deixar o corpo, é um conhecimento do Amor que você 
manteve todo o tempo.

Pois, na verdade, quando você vai para a sua própria Luz, quando libera 
o corpo, você vai para o Amor, e o Amor está esperando o tempo todo a 
sua aceitação. O Amor está esperando neste estado meditativo e quer 
presenteá-lo com a aceitação, com o sentimento de dignidade que o 
mundo não conhece. Neste espaço, você irá encontrar o seu Eu 
verdadeiro.

Depois que você esteve neste espaço por algum tempo... e isto pode 
levar algum tempo ou não, assim eu não lhe direi que isto leva um mês, 
ou um ano. É preciso praticar, estar no espaço tranquilo.E, então, 
depois de algum tempo, você irá encontrar o seu Eu verdadeiro que 
ultrapassa qualquer aparência, qualquer descrição.

Podemos usar palavras para descrever o espaço do Amor, mas a 
experiência do Amor é outra coisa, não é? Quando você entrar neste 
espaço e você amar a todos, você encontrou o seu Eu verdadeiro, 
um Eu que o mundo não aprecia, não valoriza. Você não obtém uma 
recompensa do mundo por viver no amor. Exatamente o oposto é 
verdade, como você vê o mundo neste dia.

Mas eu lhe digo: Tenha esperança, porque quando você estiver 
encontrando o amor em si mesmo, e quando experienciar o Amor 
do Eu Superior, você está manifestando esta vibração ao mundo 
que não compreende e não valoriza o Amor, e você estará mudando 
o próprio mundo.

Está chegando um momento em que você irá se lembrar, e os irmãos 
e irmãs se lembrarão, como é viver no Amor; sem ter que realizar, 
sem ter que ser competitivo e passar por cima de outros, como você 
sobe na escada da vida, mas apenas permanecer no espaço onde 
todos estão bem.

Todos são amados com um Amor eterno que existia antes dos 
tempos, e este Amor irá permanecer até mesmo depois que o 
propósito do tempo tiver sido cumprido. O tempo tem um propósito, 
e não existirá para sempre.

Haverá um momento, fora do tempo, quando você não precisar mais 
do conceito do tempo e as restrições que o tempo coloca em você, 
quando você será apenas o Eu divino que você é, no Amor, aceito 
por Quem e o Que você é, o Eu divino.

Não a identidade que o mundo lhe dá, pois isto é passageiro e fugaz, 
e, geralmente, cheio de julgamento, mas o seu Eu que vive 
eternamente e que habita no Amor para sempre. Isto é quem você é, 
e é isto o que veio compreender – tornar real em sua consciência – 
quando você faz a prática da meditação.

Quando você entrar no espaço que acabo de descrever - o espaço do 
Amor, onde você se ama, você ama a todos, você não precisa ter um 
objeto de amor. É apenas um mar de amor. Você permanece lá por 
algum tempo, porque é tão bom!

Então você começa a perceber que, fora dos ditames do mundo, há 
outro reino inteiro que só conhece o amor, e você entra no espaço 
de ser capaz de experimentar, de chamar outros que entraram nesse
 reino, talvez ao liberar o corpo, de modo que eles não têm que 
arrastar o corpo, não têm que vesti-lo, alimentá-lo e estar atento a 
todas as suas necessidades.

Eles se encontram em um espaço de grande amor. É por isto que 
você ouviu histórias daqueles que tiveram a “experiência de 
quase-morte”, onde eles não queriam retornar à vida humana, porque 
o Amor era tão bom e, no entanto, eles sabiam que havia algo 
remanescente no mundo, na experiência da humanidade, que eles 
ou queriam ou sentiam que tinham que cumprir.

No espaço do grande Amor, você pode comungar com qualquer 
pessoa que queira – os entes queridos que partiram e, no entanto, 
eles não se afastaram de você, ou não foram a lugar nenhum, longe 
de você. Eles estão em um grande espaço de Amor, pois eles o 
acessaram.

Lá, você irá encontrar Mestres de outros tempos, aqueles dos quais 
você disse: “Se eu pudesse ter uma breve visita com eles” – alguém 
a quem admirou, talvez, um professor... Você pode fazer isto no 
momento da meditação, mesmo enquanto permite que o corpo funcione.

Quando você está no espaço da meditação muito profunda, o corpo 
sabe como cuidar de si mesmo. O coração continuará batendo. Todos 
os órgãos farão exatamente o que devem fazer. O sangue continuará 
circulando. O sistema digestivo continuará a digerir.

E, então, quando você voltar à consciência do corpo e tiver que fazer algo 
com ele, ele o estará esperando. Entretanto, há grandes mestres que 
entraram em uma meditação muito profunda e decidiram que eles não 
queriam reativar o corpo, assim eles não precisaram. Mas, isto é uma 
exceção, e não irá acontecer com você. Assim, não tem que sentir que 
se entrar em uma meditação muito profunda e se esquecer de sua 
realidade, que tudo irá se dissolver.

Isto não lhe acontecerá. Você sempre manterá uma pequena... o que 
você chama de cordão de prata... uma ligação com o corpo, até que o 
corpo não mais exista. O corpo desiste sempre de forma voluntária. Ele 
nunca é levado de você, embora possa haver uma grande persuasão 
que lhe é dada, como aqueles que estão nas atividades de guerra.

Você tem histórias daqueles nos campos de batalha que não irão desistir 
do corpo, porque eles estão optando por não fazer isto, embora o irmão 
ao lado deles possa deitar o corpo, e o irmão do outro lado faça o mesmo. 
É sempre uma escolha.

Isto lhe foi dito, e é uma grande verdade, que quando aqueles liberarem o 
corpo, eles assumirão a aparência de como eles estavam em seu auge; não 
como eles estavam nas últimas semanas antes de liberarem o corpo, o que 
pode ter sido mais trágico de olhar, mas eles terão a aparência de quando 
estavam no auge.

Muitas vezes, eles se lembram de quando eles foram muito alegres, muito 
ativos – porque eles são, como você – e eles estarão no auge da vida, 
na vida espiritual, sem temor.

Veja, uma das coisas que esgota o corpo, e também a pessoa, é o medo, 
a preocupação, o pensamento de que você tem que fazer tudo o que o 
empregador lhe disse, todos os temores que você tem que ter, tudo o que 
os pais lhe disseram, enquanto você crescia, que tinha que agir de 
determinada maneira – andar com a coluna reta, levantar a cabeça, 
nunca olhar para baixo e nem para trás – todas as coisas que são 
“boas para você”.

Mas, na verdade, às vezes, todas as disciplinas da educação podem 
ser um pouco cansativas para o espírito. É por isto que eu lhe recordo, 
de vez em quando, para se tornar a criança, o pequeno, que está 
entusiasmado com a vida. A vida é tudo o que há, e eles querem saber 
mais sobre ela.

Você quer saber mais sobre a vida. Você quer saber: “Como é que eu 
trabalho com o corpo? Como faço para que ele se torne da maneira que 
quero que ele seja?” Na verdade, você está sempre exercitando o corpo, 
como vê que é possível. Isto não é dito como um julgamento. Seu corpo 
responde ao que você lhe diz. Quando você está feliz e ama o seu corpo, 
ele o amará.

Você é a Força criativa que está ativando o corpo.
Você está no comando.

Agora, eu sei que o corpo, às vezes, fala com você: “Bem, isto é muito 
engraçado. Você acha que está no comando? Eu lhe mostrarei.” E, então, 
você começa com uma dor no tornozelo, ou, ai de mim, uma enxaqueca. 
E você responde. Você responde por força do hábito.

Assim, estou lhe dizendo: Quando estiver no espaço do grande amor, 
você irá amar a sua criação. Você amará o seu corpo, e ele parecerá 
diferente para você. Isto não acontece de imediato, geralmente. E como 
eu disse, você teve muita sorte em outras vidas, onde cresceu em uma 
comunidade espiritual que o aceitou como o pequeno, sabendo que 
você é a Energia divina que ativa a sua criação, o corpo.

Quando você se permite entrar em uma experiência de meditação
 profunda e se sente como Amor, nada além do Amor, nada que tenha 
que ser analisado, nada que tenha que ser descrito, você tem, então, 
a oportunidade de falar com qualquer pessoa, em qualquer lugar, a 
qualquer momento, de algumas das eras da sagrada Mãe Terra, e 
os seres planetários com quem você esteve em outras encarnações 
ou não encarnações, para voltar e se reavaliar nas outras vidas, de 
reagrupar todas as outras vidas, encarnações e não encarnações de 
experiências, e você irá se perceber como muito abundante.

Você pode se conectar com o que foi denominado neste momento 
como Ets. Você perceberá que:”Oh, meu Deus, eu tive experiências 
como um ET, mas não sabia que era um ET. Eu era apenas um ser. 
Eu era uma consciência. Mas os outros, talvez, iriam me descrever 
como um ET, porque naquele momento eu não estava vivendo na 
sagrada Mãe Terra.”

Você foi o pequeno protozoário. Você foi o peixe que nadou no mar. 
Você foi um animal de quatro patas. Você foi um macaco muito ágil que 
balançava entre as árvores. Algumas vezes, há um sentimento dentro 
de você de que gostaria de fazer isto novamente.

“Oh, assim eu poderia ser livre e balançar entre as árvores, 
de galho em galho.” 

Bem, você está revivendo, neste ponto, uma experiência que já 
teve. Caso contrário, como este conceito, esta ideia, este sentimento 
encontraria um espaço em sua consciência? É porque você o fez. 
Você já o foi.

Os seres humanos se colocaram no alto da pirâmide e dizem que eles 
estão no topo da árvore evolutiva. Bem, eu compartilharei com você 
que no que você percebe como algumas centenas de anos a partir de 
agora, talvez até duas centenas de anos, talvez, apenas daqui a cem 
anos, será vista uma evolução onde a forma humana será diferente do 
que é agora, e o receptor humano, também conhecido como o cérebro, 
será capaz de ser bem mais receptivo e telepático do que você tem 
conhecimento agora. Você está caminhando para isto.

Assim, daqui a cem anos, você poderá olhar para trás nesta história 
e dizer: “Bem, estou feliz por não ter vivido então. As coisas eram 
muito brutas, relativamente.” Assim, eu lhe digo: Não julgue. 
Não há espaço para o julgamento. Há somente espaço para o amor.

Permaneça sempre no amor.
Pratique a meditação.

Conecte-se novamente com a sua Totalidade e não haverá mais véu.

Assim seja.


http://stelalecocq.blogspot.com/2015/07/dissolvendo-o-veu.html
www.oakbridge.org.
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

sábado, 25 de julho de 2015

Sétimo Chacra de Gaia


MONTE FUJI, JAPÃO

Por Suzanne Lie PhD
Em 19 de junho de 2015



Eu sou Gaia, retornei para ser seu guia enquanto vocês fundem 
a essência espiritual do seu Sétimo Chakra pessoal com a 
essência espiritual do meu Sétimo Chakra planetário. Quando nós 
unimos nossos Sexto Chakras, nós unimos nossa Consciência 
Pessoal com a minha Consciência Planetária e Galáctica.

Agora, quando combinarmos nossos Sétimo Chakras, nós 
expandiremos para a Consciência Galáctica e Cósmica. Então, 
vocês não estarão apenas unidos com a consciência do seu 
Planeta, mas também com a consciência de sua Galáxia e a 
consciência do Universo Cósmico. Seu corpo físico, que já foi 
considerado ser o vaso terreno do seu eu, agora é revelado 
como o ponto de aterramento 3D de seu EU Multidimensional.

O Sétimo Chakra é um chakra masculino/fluxo de saída que 
funciona de uma forma andrógina. É do seu Chakra da Coroa 
aberto que vocês estendem sua antena para cima, para as 
dimensões superiores, para a recepção das Mensagens de Luz 
de seu EU Multidimensional em outros planetas, galáxias e 
dimensões.

O Monte Fuji, no Japão, é o meu Chakra da Coroa e a área do 
meu corpo da qual eu estendo minha antena. O Monte Fuji é o 
meu “guardião do tempo”, mas ao invés da passagem das horas, 
ele mede a passagem das estações, ciclos e eras. A era de nossa 
separação em formas tridimensionais polarizadas está 
terminando.

O nosso “retorno ao EU” é iniciado com o Casamento Místico, 
que ocorre quando nossa Kundalini conclui sua jornada para a 
nossa Coroa. O masculino e o feminino então são unidos em 
nosso verdadeiro Corpo de Luz andrógino.

Eu, Gaia, então irei me tornar uma Estrela, e vocês, minhas 
pessoas, irão se tonar o Planeta. Quando as polaridades são 
removidas, as ilusões de separação e limitação, tais como 
masculino/feminino, espírito/matéria, claro/escuro e 
amor/ódio, se combinam em “VIDA expressada como forma”. 
É então que minha forma mudará muito, como mudarão as 
formas de todos os meus habitantes.

Entretanto, alguns de vocês podem desejar continuar com o 
Jogo 3D, que é um direito seu, e serão relocados para outro 
ambiente 3D. Eu firmemente acredito que a maioria de vocês 
que recebem esta mensagem liberará alegre e dispostamente 
o conflito pessoal da terceira dimensão e escolherá retornar 
para as experiências de seu EU Multidimensional na quinta de 
dimensão e muito, muito mais acima. O osso Chakra da 
Coroa é a área de nosso corpo que sempre esteve separada 
do conflito tridimensional. Este chakra é o que traz a Luz, 
tal como o meu querido Monte Fuji sempre foi um centro 
espiritual e um farol de Luz.

O Sétimo Chakra é o “espaçoporto” para a minha Merkaba 
Planetária e sua Merkaba Pessoal, que em breve serão fundidas 
em uma Carruagem Interdimensional. Nossa “Carruagem” está 
se preparando para decolar. Entretanto, antes de podermos 
“decolar”, devemos “aterrissar” na quinta dimensão e acima. 
Pois, na realidade, não há partida ou chegada; somente há 
“elevação” na frequência de vibração.


SÉTIMO CHAKRA PESSOAL: COROA DA CABEÇA

A abertura do Chakra da Coroa representa o término de seu desejo 
de viver como uma vítima das ilusões de sua vida física. Sim, vocês 
ainda parecerão humanos, mas não serão limitados a isso. Seu 
Chakra da Coroa é regido pela sua glândula pineal, que lhes permite 
receber a Luz dimensionalmente superior. Pelo “download” dessa 
Luz, 
vocês expandem sua consciência além dos limites de ser humano, 
ou até de ser um planeta.

Seu Lar agora é nas estrelas, galáxias e dimensões superiores. 
Agora que vocês se lembraram de quem vocês são, vocês estão 
começando a se lembrar da Missão que vocês escolheram antes 
de virem para cá para esta vida. Há uma Missão que todos vocês 
têm em comum, que é a missão de aterrar as vibrações dos seus 
Lares dimensionalmente superiores em suas vidas diárias.

Cada um de vocês tem muitos fragmentos do seu EU total que 
ressoa às frequências da quinta dimensão e acima. Cada um 
desses fragmentos tem uma frequência base diferente e um Lar 
dimensionalmente superior correspondente. Agora que vocês 
integraram sua Alma/EU, mais e mais de seus aspectos 
dimensionalmente superiores do EU se comunicarão com vocês, 
e até farão o “download” da Essência deles em sua “experiência 
humana presente”.

Os véus entre os mundos então ficarão cada vez mais finos, 
e sua perspectiva de realidade mudará imensamente. 
Felizmente, sua Compaixão Imparcial então será mais acessível, 
pois vocês entenderão mais profundamente que cada um precisa 
encontrar seu próprio Caminho e segui-lo a partir do interior 
do seu EU. Vocês não precisarão mais curar ou salvar “outros”, 
pois vocês percebem que não há “outros”. Todos vocês são Um. 
Na Unidade está somente a Compaixão, pois vocês não são apenas 
UM entre si, vocês também são UM com o Espírito.

Sua expansão no EU também lhes permite acesso direto ao centro 
de controle holográfico na sexta dimensão. Esta perspectiva 
hexadimensional amplifica mais sua Compaixão Imparcial, pois 
vocês podem ver o Grande Quadro para os “problemas” 3D e 
percebem que a Alma/Eu de cada pessoa escolheu os problemas 
que servem melhor para despertar o seu Aterrado.

Vocês então se conscientizarão que não é trabalho seu interferir 
com as escolhas das outras pessoas. Se alguém deseja que vocês 
o assistam ou os curem, vocês o fazem tão naturalmente quanto 
seria dizer olá, mas vocês dão seus serviços sem a NECESSIDADE 
de apreciação ou gratidão. Vocês FAZEM o que fazem porque 
vocês SÃO quem vocês são, e vocês são – o seu EU.

A terceira dimensão sempre foi baseada em “aprender pelo 
conflito”. Entretanto, com uma Coroa aberta, essa premissa 
se torna obsoleta, pois vocês não precisam mais aprender; 
vocês somente precisam lembrar o que seu EU sempre “SOUBE”. 
O aprender então é substituído pelo Ser o Amor Incondicional e 
a Compaixão Imparcial. Este “estado de ser” os ajuda a 
permanecer afastados dos dramas do Jogo 3D.

Como vocês aprenderam com suas muitas encarnações terrenas, 
os dramas 3D têm uma forte qualidade viciante. Quando vocês 
combinarem totalmente sua Essência com a minha, vocês mais 
facilmente conseguirão ficar afastados desses dramas. Eu, Gaia, 
tive que ficar afastada para que eu pudesse manter meu 
equilíbrio e permanecer na minha órbita. Teve uma época que 
eu praticamente perdi meu equilíbrio planetário. Para 
“permanecer no curso” para o restante de nossa experiência 
planetária, eu tive que pedir por mais Luz da minha família 
Solar e Galáctica.

Muitos de vocês são os Seres de Luz que responderam a esse 
pedido. Eu desejo agradecer a vocês outra vez, e informá-los 
que o seu “tour de dever” está chegando ao fim. Logo vocês 
serão capazes de retornar para o seu Mundo Lar, mas primeiro 
eu preciso que vocês concluam sua última missão, como eu sei 
que concluirão! Unam-se a mim agora queridos Seres de Luz, 
enquanto nós fundimos nossos chakras pessoais e planetário.


COMBINANDO OS CHAKRAS

Por uma última vez, viajem para o meu núcleo, na verdade, 
NOSSO núcleo. Sintam sua consciência expandir para além das 
limitações de sua forma física, e até além dos limites do nosso 
planeta, para acolher a Galáxia inteira. Agora vocês expandiram 
sua mente para acolher não somente a Consciência Planetária, 
mas também a Consciência Galáctica. Sintam-se no centro de 
nossa Galáxia. VOCÊ é o nosso Grande Sol Central, Alcyone, das 
Plêiades. Sintam suas “Sete Irmãs” em sua constelação. Sim, 
um Sol também pode parecer feminino.

Longe, na beirada de sua Galáxia está um pequeno Sistema Solar. 
Tirem um longo momento para estender sua mente para esse 
Sistema Solar. Vocês encontram o terceiro planeta a partir do Sol, 
a Terra, e projetam sua Essência nele. Vocês agora são o planeta. 
Vocês são a Terra. Sintam nosso corpo atraí-los para o LAR. O Lar 
na Terra, o planeta da sua Alma enquanto repetem comigo:

Eu SOU o Planeta TERRA, desde as profundezas do meu núcleo 
até o topo da minha atmosfera.

Minhas montanhas assentadas pesadamente no meu corpo, e o 
meu vento sopra pelas minhas vastas planícies.

Eu sinto meus pastos extensos sendo pisados pelos cascos dos 
meus animais e comidos e sinto a agitação do ar quando meus 
vários habitantes alados voam pelos meus céus.

Minhas águas vão e voltam enquanto a vida dentro delas procura 
por alimento, aventura e procriação.

Minhas cidades são vastos centros de polaridades diferentes, 
enquanto que meu sertão vive na Unidade da Natureza.

Eu CONHEÇO cada criatura andando, nadando e voando pelos 
meus campos e cidades igualmente.
Ao redor e dentro de mim, minhas muitas criaturas e formas de 
vida nascem, vivem, procriam e morrem.

O tempo nada significa para mim, pois eu 
SOU 
somente AGORA.
Meus muitos vegetais decoram e alimentam 
minha 
superfície 
e meu mundo cristal forma a fundação da 
minha terra.
Do menor seixo até a maior montanha
Da primeira gota de chuva até o imenso 
oceano
De um pequeno broto até minha maior 
floresta
De uma chama de vela até um vulcão em 
erupção

EU ESTOU PRESENTE
EU ESTOU lá, e EU ESTOU aqui, pois EU 
SOU AGORA.
EU SOU Gaia,
EU SOU a Terra.



Agora, queridos Seres do meu EU, 
SINTAM 
NOSSA Coroa 
no Monte Fuji, Japão.

Sintam NOSSA montanha assentada 
na terra 
enquanto NÓS 
unimos NOSSAS mentes e pensamentos 
com 
o Deus-Pai e 
NOSSOS corações e emoções com a 
Deusa-Mãe.

NÓS AGORA somos um canal, um transformador 
redutor, 
do Espírito para a Matéria.

Nós somos uma grande montanha com o Poder 
do Pai Céu, 
a Sabedoria da Mãe Terra e o Amor que os uniu 
no Casamento 
Místico para criar seu Filho Divino – humanidade.

NÓS SENTIMOS NOSSA COROA NO PICO 
DO MEU FUJI.
Nós estamos abertos para receber nossas 
Expressões 
mais Altas do EU.

NÓS Sentimos NOSSO Terceiro Olho na 
Cordilheira 
Himalaia, Tibete.
Com nosso Terceiro Olho aberto nós vemos 
TODA 
vida através 
dos Olhos da Alma.

NÓS Sentimos NOSSA Garganta no Monte 
Shasta, 
Califórnia.
Nós somente dizemos a VERDADE e criamos 
somente 
do nosso 
EU mais Superior.

NÓS Sentimos NOSSO Coração na 
Cratera 
Haleakala, Maui.
Nós nos Amamos para que possamos 
Amar 
TODA vida.

NÓS Sentimos NOSSO Plexo Solar 
no Monte 
Kilimanjaro, África.
Nós sentimos nosso Poder Interior e o 
projetamos 
para 
o nosso mundo em transformação.

NÓS Sentimos NOSSO Umbigo na Selva 
Amazônica, 
Brasil.
Nós levamos nossa Nova Terra em nossos 
corações e mentes.

Para que JUNTOS possamos fazê-la nascer.
NÓS Sentimos NOSSA Raiz no Monte Sinai, 
Oriente Médio.

Nós aterramos nossa vibração mais alta no núcleo 
de NOSSO planeta
para criar uma fundação firme para nossa realidade 
em expansão.
NÓS somos o planeta!

Obrigada, queridas pessoas.
Obrigada desde o núcleo de NOSSO corpo
até a ponta do NOSSO pico mais alto.

EU SOU Gaia. E graças a vocês,
EU ESTOU/NÓS ESTAMOS ascendendo.



LEMBRANÇAS MULTIDIMENSIONAIS

Como resultado de nosso processo, muitas lembranças e histórias 
multidimensionais podem inundar nossa consciência. Essas histórias 
realmente são de seres em planetas, galáxias e dimensões diferentes, 
ou são elas apenas nossa imaginação? Mais importante, há uma 
diferença entre lembrança e imaginação?

Se realmente estamos criando nossa realidade, então uma realidade 
que é limitada à Terra tridimensional é meramente a nossa escolha 
de criação. E se nós, os criadores de nossa realidade, fôssemos 
capazes de imaginar uma realidade em que NÃO estivéssemos 
limitados à terceira dimensão?

E se NÓS, os criadores de nossa realidade, fôssemos capazes de 
entrar na memória de nosso EU Multidimensional totalmente 
integrado? Nós então poderíamos recuperar memórias esquecidas 
por muito tempo de outras realidades que estão além dos limites 
desta dimensão, tempo e espaço específicos?

Poderíamos confiar o suficiente em nossa “imaginação” para deixar 
ir as restrições de limitar nossa consciência a apenas uma realidade, 
uma expressão de nosso EU total?

Quando nossa consciência está restrita à terceira dimensão, nós não 
podemos curar o planeta de Gaia, porque ele é esse estado 3D de 
consciência que criou a situação que NOSSO planeta e TODAS as 
criaturas dele agora estão experimentando.

O mundo industrial é o resultado da jornada mais profunda da 
humanidade às capacidades sequencias e analíticas do nosso cérebro 
esquerdo. Essas capacidades nos ensinaram a separação absoluta na 
consciência individual de nosso mundo “moderno”.

Nossas percepções expandidas de telepatia, premonição, telecinese, 
clarividência, clariaudiência, clarisenciência, que resultam do 
pensamento com todo o cérebro a partir da fusão de nossos 
hemisférios direito e esquerdo, são filtradas e retiradas de nossa 
consciência tridimensional individual.

Além disso, com a nossa acentuação da capacidade inata em 
somente metade do nosso cérebro, nós caímos no pensamento 
em preto e branco. Os pensamentos em preto e branco absolutos 
são baseados na mesma polaridade que criou o mundo 
tridimensional.

A nossa busca não é mais para encontrar a individualização total 
dos outros humanos, natureza, nosso planeta e nem de nosso 
verdadeiro EU Multidimensional. Nós experimentamos uma aventura 
na separação de nossas capacidades multidimensionais inatas.

Entretanto, igual a um artista que pode desejar focalizar somente na 
dança até que essa habilidade pareça perfeita, então somente cantar 
até essa habilidade parecer perfeita, nós nos desautorizamos o uso 
de todas as nossas habilidades.

Muito pior, nós escondemos nossas habilidades expandidas sob 
a nossa “vergonha de ser diferente”. Entretanto, o ensaio geral 
para a apresentação de nossa vida acabou, e o ato final começou.

Para enfrentar os desafios decorrentes que surgem diretamente 
à frente, nós devemos nos livrar da vergonha para acolher 
totalmente o nosso EU e reunir TUDO que nossa Alma/EU já 
experimentou em qualquer dimensão, planeta ou galáxia.

Nós devemos permitir nossa imaginação para aceitar e projetar 
a iluminação de nossa jornada para o UM.

Nós aprendemos a expandir nossa consciência para a consciência 
cósmica por abrir nosso Terceiro Olho e passar pelo portal 
multidimensional dele. Nós podemos confiar nas aventuras que 
tivemos nessas jornadas?

A luz multidimensional do UM banha nosso Chakra da Coroa e 
irradia-se para a nossa realidade física através de nosso Terceiro 
Olho aberto. Simultaneamente, Gaia constantemente compartilha 
Suas emanações desde o núcleo de seu coração planetário através 
da estrada criada pela nossa Kundalini e para o nosso 
coração pessoal.

Por permitir a elevação da Kundalini para assistir na integração 
de nossa Alma/EU em cada um de nossos chakras, nós também 
abrimos nosso Coração Superior e o fundimos com o nosso Chakra 
do Coração para concluir o despertar de nossa consciência 
planetária.

Com a nossa consciência planetária, nós iniciamos nossa habilidade 
inata de estar no UM com todas as criaturas e matéria que 
contribuem para a nossa experiência grupal de ser UM com o 
planeta.

Quando o amor incondicional de nosso Chakra do Coração expandido 
se combina com nosso Terceiro Olho aberto, a imensa criatividade 
de nosso Chakra da Garganta irrompe para a nossa realidade – 
a realidade que nós estamos criando AGORA.

A nossa criatividade desabrochando desgasta as muitas regras 
da limitação que parecem fios que amarram nossas mãos, pés, 
coração e mente. Se for para SERMOS o nosso EU, nós precisamos 
nos libertar de nosso casulo limitante como as lindas borboletas 
que nós somos.

NÓS estamos começando o nosso processo de transformação de 
pequenas lagartas limitadas que somente conhecem a folha em que 
elas rastejam para régias Borboletas-Monarcas que podem viajar 
grandes distâncias com asas tão frágeis como renda.

Agora é hora de rompermos os limites de nosso casulo feito por nós. 
Nós fizemos nossos casulos num esforço de “nos encaixarmos” a 
uma realidade baseada no esquecimento de nosso verdadeiro EU. 
Mas, AGORA, nós lembramos e já era tempo.

O momento principal está começando para o planeta que nós 
transformamos numa coisa com a individualidade que nós tanto 
apreciávamos. Aqueles de nós que despertaram para o nosso EU 
total estão preparados para assumir o seu lugar neste drama da 
transformação planetária para que possamos cumprir o nosso 
Propósito de Alma.

Porque nós integramos nossa Alma/EU em nosso vaso terreno, 
nós podemos ouvir a voz do nosso EU Multidimensional 
constantemente nos encorajando e nos orientando. Tudo que 
precisamos fazer é entregar para o nosso EU, pois é por viver 
na entrega que podemos libertar totalmente o nosso eu das ilusões 
da vida no mundo.

E se encontrássemos a coragem de “nos tornamos conhecidos” 
como o nosso EU Multidimensional?
E se nós equilibrássemos nosso intelecto com os nossos 
instintos?
E se nós fôssemos abertamente
telepáticos,
          premonitórios,
               telecinéticos,
                    clarividentes,
                         clariaudientes,
                              e clarisencientes?

E se parássemos de esconder nossa luz e permitíssemos nossa 
essência iluminada orgulhosa e honestamente emanar através 
de nosso EU Multidimensional totalmente integrado?

Como nós continuamente aterramos nosso EU 
Multidimensional 
na Terra de Gaia nós nos tornamos “A Consciência 
Coletiva da Terra”.

ENTÃO nós somos UM com Gaia e Gaia é 
UMA conosco.

Quando expandimos nossa consciência para abranger a Terra:
          Nossa consciência individual se torna Consciência Planetária.

Quando expandimos nossa consciência para abranger nosso 
Sistema Solar:
          Nossa Consciência Planetária se torna Consciência Solar.

Quando nós expandimos nossa consciência para abranger a 
Galáxia:
          Nossa Consciência Solar se torna Consciência Galáctica.

Então, quando expandimos nossa consciência para abranger o 
Universo:
          Nossa Consciência Galáctica se torna nossa Consciência 
Universal.

Em nossa consciência expandida, nosso pensamento com todo 
o cérebro e nossas percepções expandidas está a capacidade de 
realizar nosso Ideal Divino e de contribuir com a realidade 
planetária em transformação.

Juntos como UM, pessoas e planeta, nós podemos criar um 
planeta de paz e amor!

Qual é a nossa Missão pessoal? Como a cumpriremos?
Para encontrar a resposta, nós precisamos ir para dentro 
em nosso EU...

Bênçãos a TODOS vocês
Gaia




Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...