Pesquisar este blog

Traduzindo

segunda-feira, 25 de abril de 2016

OS 5 ESTÁGIOS DO DESPERTAR - sinalização e armadilhas no caminho da consciência.


OS 5 ESTÁGIOS DO DESPERTAR - sinalização e armadilhas no caminho da consciência.
Por Nanice Ellis - 28 de março de 2016

O que realmente significa despertar? É justo dizer que o despertar é uma viagem de limitação à liberdade - do inconsciente para consciente. Se você escolher intencionalmente tomar esta viagem ou uma experiência inesperada impulsiona você para o caminho, uma vez que você começar, não há como voltar atrás.

É verdade que a viagem pode ser bastante árdua às vezes, mas não importa quanto tempo dure ou quanto desafiador seja o destino extraordinário que ultrapassa todas as colisões e contusões ao longo do caminho. O resultado final de completo despertar é a liberdade do sofrimento pessoal, clareza de espírito, alegria sem limites, paz interior e capacidade de viver uma vida incrivelmente gratificante. O estado desperto mantém tudo que já foi desejado, e muito mais.
Onde está você e o que vem a seguir?

Existem 5 estágios do despertar, e quando você entender cada etapa, e onde você estará no caminho, você poderá reconhecer os postos de sinal ao longo do caminho, e as possíveis armadilhas a evitar.

Utilize o seguinte guia como uma maneira de navegar as fases de despertar, mas tenha em mente que a experiência de cada um é diferente. Não há maneira certa ou errada para acordar. Como na arte, é tudo lindo e perfeito.

FASE 1 DO DESPERTAR: O Palco do Falso EU:

Na Fase 1 do Despertar, estamos mais dormindo que acordados, e nós nem sequer sabemos que estamos assim. Estamos entrincheirados na consciência de massa e atravessando os movimentos da vida, em geral, seguindo as regras de cultura e leis da terra.
Nós não costumamos questionar a realidade ou buscar respostas além do que é necessário para a sobrevivência e manutenção de um estilo de vida.
Nossas identidades nos definem e nós vivemos dentro da construção da religião, da cultura e/ou sociedade.
Podemos até fazer o papel de vítima ou agressor.
Programação inconsciente nos é imposta, e, como resultado, vemos o mundo em preto e branco - bom e mau. Nós provavelmente processamos um modelo rígido do mundo de acordo com nossa programação específica.

Porque há um grande desejo de se encaixar e ser aceito, nesta fase, é comum sacrificar nossas necessidades e comprometer os nossos valores, a fim de receber a aprovação e ser incluído na nossa comunidade desejada, seja família, cultura, negócios, religião , etc ...
Auto-estima é provavelmente condicional e anexado a identidade ou aos papéis que desempenhamos, ou pode haver outros meios de provar que somos dignos.

Porque o ego geralmente comanda o show, nós provavelmente acreditamos que somos o ego, com pouca ou nenhuma consciência de que há uma maior parte de nós.
No primeiro estágio, a felicidade é baseada em fatores externos, portanto, a fim de se sentir feliz, nós tentamos controlar a realidade; outras pessoas, lugares e experiências.
Apesar de tentarmos controlar nossas vidas, tanto para a felicidade e segurança, é mais do que provável que nossas emoções governem, e nossas ações e reações são baseadas em nosso momento e sentimentos de momento.

Nós não fazemos nenhuma ligação entre os nossos pensamentos / crenças e nossas experiências na realidade, e, portanto, não temos capacidade direta para criar conscientemente a nossa realidade. Apesar da nossa natureza inconsciente, os primeiros sinais de despertar acontecem durante esta fase; um "sentimento flash" que há algo mais, ou uma suspeita de dúvida que nos torna incerto sobre a vida ou a realidade.


FASE 2 DO DESPERTAR - a fase de questionamento:

As dúvidas experientes no primeiro estágio começam a se transformar em questões significativas. Os primeiros sinais de movimento do inconsciente para consciente são experientes.

Na Fase 2 do Despertar, nós experimentamos um crescente desconforto em nossas vidas. Há uma sensação de que algo está errado ou faltando. Começamos a questionar a consciência de massa e a validade de normas, crenças e leis. Coisas que costumavam nos trazer conforto como religião ou tradições não são mais satisfatória e os lugares onde encontrávamos respostas não prestam socorro.
Nós questionamos a nossa identidade, mas nós ainda a mantemos porque temos de continuar a provar o nosso valor, e nós ainda não conhecemos a nós mesmos fora da nossa identidade humana. 

À medida que questionamos os papéis que desempenhamos, podemos nos sentir perdidos, e até mesmo traídos por outros ou pela vida em geral.
Podemos até culpar a religião, a família, a cultura, o governo ou o mundo pelos nossos problemas, ou talvez culpar pessoas específicas pelas nossos disfunções. À medida que transferimos a responsabilidade aos outros, nos sentimos impotentes sobre nossas vidas; ainda não percebendo que, a fim de tomar de volta nosso poder, temos de assumir a responsabilidade. Nesta fase, podemos passar de vítima a sobrevivente, mas estamos provavelmente ainda culpando outros e nos sentindo impotente.

Começamos a perguntar: "Quem sou eu? Por que estou aqui?"
Apesar de estarmos à procura de respostas, ainda seguramos certas crenças limitantes que nos mantêm escravizados na realidade que conhecemos. Quando tentamos desafiar essas crenças, o medo nos traz de volta, mantendo-nos a dormir um pouco mais. 

Em nosso desconforto com a realidade, e nossa busca por respostas, podemos experimentar uma grande confusão, oprimir, ansiedade e até depressão. Nós "manter-se" com as nossas vidas, mas estamos secretamente apenas "atravessando os movimentos".

Como nós experimentar uma variedade de desafios projetados para nos ajudar a acordar, o desconforto tolerável se transforma em dor e sofrimento. Como nossas crenças desempoderadoras são demonstradas em situações da vida real e relacionamentos, nós temos o nosso primeiro vislumbre dos programas inconscientes executando nossas vidas, mas o nosso desejo de adaptar-se e ser aceito é provavelmente mais forte do que qualquer desejo de nos libertar. Embora este seja o início da quebra de nossos programas internos, ainda estamos tentando provar o nosso valor, demonstrando a nossa importância e buscando aprovação para os nossos esforços.

Começamos a compreender que a felicidade não pode ser encontrada no mundo exterior, mas ainda estamos jogando o jogo - buscar a felicidade em outras pessoas, lugares e experiências.

Nesta fase, pode haver uma grande quantidade de gatilhos emocionais. Podemos até sentir trauma ou lembrar traumas passados. As emoções são geralmente muito fortes, e podemos nos sentir mais frágeis ou vulneráveis. O que ainda não percebemos é que nossos problemas estão vindo à superfície para serem curados e liberados

Mesmo que começando a ver o mundo de uma perspectiva totalmente nova, ainda podemos pensar em preto e branco - talvez mais do que nunca. Nós não estamos prontos para assumir a responsabilidade por nossas vidas e, por isso, fazemos pouca ou nenhuma conexão entre os nossos pensamentos e as nossas experiências em realidade.
À medida que o mundo exterior não satisfaz nossa fome, a jornada interior está prestes a começar.


FASE 3 DO DESPERTAR - A fase de introspecção:

O crescimento imenso pessoal / espiritual e o início da evolução consciente através da auto-descoberta.

Na Fase 3 do Despertar, começamos uma jornada de introspecção. Na Fase 2, nos rebelamos contra o mundo externo com pouco ou nenhum sucesso em aliviar a nossa dor, sofrimento ou desconforto, e então nós recuamos agora na medida que começamos a procurar respostas dentro de nós mesmos.
Nós começamos a nos separar da consciência de massa, liberando muitas crenças limitantes que foram programados em nós pelos pais adormecidos, professores, cultura, sociedade, religião e mídia. Como nós liberamos essas crenças, podemos experimentar tanto tristeza e alívio. Se passamos um tempo de vida preso em crenças que causaram sofrimento emocional, sofrimento físico e felicidade perdida, podemos lamentar a vida que nunca tivemos, e, ao mesmo tempo, podemos sentir um grande alívio à medida que nos libertamos das limitações.

Como reconhecemos o estado de sono ao qual temos estado, podemos ver claramente que a maioria das pessoas que conhecemos ainda estão dormindo. Tentamos acordá-los, mas as nossas tentativas são vistas como críticas e, portanto, se batem a ouvidos surdos.

Não surpreendentemente, com os olhos bem abertos, é comum vivermos uma experiência maior de julgamento a outras pessoas (amigos e estranhos), a sociedade e ao mundo. Outros podem sentir o nosso julgamento e defensivamente responder com seu próprio julgamento sobre nós. Somos vistos como diferentes, estranhos e talvez até mesmo loucos. Mais cedo ou mais tarde, decidimos manter a nossa consciência crescente para nós mesmos; talvez racionalizando que é melhor ficar calado do que ser julgado. Neste momento, não temos muita esperança de que outros irão acordar.
Nós ainda estamos focados em tudo o que está errado em nossas vidas e no mundo, mas, ao mesmo tempo, temos resistência em deixar ir. O processo de desapego é muitas vezes "o trabalho" nesta fase, e, à medida que aprendemos a deixar ir, a Fase 3 é o lugar onde podemos deixar empregos insatisfatórios, relacionamentos íntimos, famílias, amizades, religiões, organizações e quaisquer formas de desmpoderamento da vida . Podemos nos separar dos papéis que nós jogamos, rejeitar nossa identidade passada, e podemos até fazer uma retirada total da sociedade.
Nosso antigo modelo do mundo está a falhar e já não vemos o mundo em preto e branco ou bom e mau. Pode haver um sentimento crescente de que estamos todos conectados, mas ao mesmo tempo, podemos nos sentir completamente desligados de qualquer outro ser humano. Em muitos aspectos, somos confrontados com a dicotomia de vida e existência.

O atributo mais comum da terceira fase é a solidão. Em um mar de bilhões de pessoas, você pode sentir que é a única pessoa desperta; ninguém entende você, e não há ninguém com quem se conectar. Neste ponto, você pode começar a questionar "o questionamento" - por que você nunca começou esta viagem? Qual é o objetivo de despertar, se você esta sozinho e solitário? Afinal, você pode ter sido infeliz enquanto estava dormindo, mas pelo menos você tinha amigos, familiares e pessoas que se importavam sobre você. Agora, não há ninguém. Você considera "voltar atrás." Você deseja poder esquecer tudo o que você sabe agora e só assim você pode ser parte de uma família ou comunidade. Você anseia por "normalidade", a fim de adaptar-se a outros, mas você também sabe que é tarde demais. Você não pode esquecer o que você tem lembrado, e apesar de sua solidão e seu desejo de se ajustar, você não iria voltar ou desfazer o seu caminho mesmo que pudesse.
Questões de dignidade, muitas vezes veem à tona nesta fase, porque os caminhos que provaram valer a pena deixar de trabalhar ou já não estão disponíveis, porque deixou o cargo ou situação que uma vez nos fez sentir dignos. Nós ainda podemos tentar buscar a aprovação, aceitação ou apreciação ou obter outras necessidades emocionais atendidas por aqueles que ainda estão em nossas vidas, mas não nos satisfazemos, como antes, e somos deixados numa sensação de vazio - forçados a lidar com sentimentos de indignidade por conta própria.

Nosso desejo de adaptar e ser aceito está lentamente sendo afogado por nosso desejo de ser livre e desperto.

Na busca de respostas e alívio da dor emocional, podemos embarcar em algum tipo de prática espiritual como a meditação ou yôga. Se não estivermos usando a prática para evitar alguma coisa, o seu objectivo é susceptível de nos conduzir a algum lugar, realizar algo ou despertar.

Na terceira fase, nós podemos experimentar o primeiro sentido real de poder, mas, se o ego afirma ser poder, podemos ter experiências desafiadoras e humilhantes.

Até agora, nós podemos ser capazes de ver a conexão entre nossos pensamentos / crenças e a criação de nossa realidade, e, como resultado, nós tentamos controlar nossos pensamentos, mas é um processo difícil porque os programas antigos ainda estão em execução.
Nós já não olhamos para fora de nós mesmos buscando felicidade, mas talvez ainda não saibamos como encontrá-la no interior. Paz e liberdade também podem ter precedência sobre a felicidade.

O estágio três é muitas vezes a etapa mais longa e quase sempre a mais difícil, mas também é a mais importante em termos de despertar.

Esta fase é marcada pelo balanço entre a resistência e o deixar ir, com momentos de clareza e iluminação, mas eles não duram. É muito comum ter várias experiências de despertar nesta fase e até mesmo acreditar que cada uma é o despertar final; só para voltar atrás na "realidade", horas, dias ou semanas mais tarde. Com cada experiência do despertar, o sentido de sua maior autonomia cresce mais forte. Está, sem saber, abrindo espaço para esse verdadeiro eu emergir em sua consciência e integrar em sua vida.

Na terceira fase, é comum a experiência de medo de perder-se, e você pode lutar para manter um senso de si mesmo, mas em última análise, no fim desta fase, uma morte do ego é inevitável. Quando o ego perde manter, muitas vezes há uma percepção de que não há nenhum ponto ou propósito para a vida. Isso pode ser libertador, como uma lufada de ar fresco, ou pode ser devastador, resultando em desesperança e desespero. Sem meta ou propósito, já não sabemos como viver nossas vidas, e nada é sempre o mesmo.

Há um sentido de pressentimento que o despertar irá lhe custar tudo, mas, ao mesmo tempo, há uma sensação maior de que algo dentro de você está acordando.


FASE 4 DO DESPERTAR - A fase de resolução:

A fase 4 do Despertar é a fase de resolução, onde o seu verdadeiro eu finalmente ofusca seu falso-eu ou ego. A luta que você experimentou nos primeiros três estágios foi longa e você experimenta uma paz profunda sabendo quem você realmente é, e você já não está buscando respostas. Este é carinhosamente conhecido como o estágio Eckart Tolle.

Todas as suas crenças foram revistas nos últimos dois estágios, e as crenças que permanecem são de apoio, harmonia e equilíbrio. Você dominou a arte de deixar ir e se render a um poder superior. Você também experimenta e tem acesso ao poder interior que possui, sem controle do ego.
A dúvida foi substituída por fé e confiança. Você é capaz de ver e entender a sua vida de tal forma que o seu passado e presente faz sentido. Você perdoou a todos por tudo, inclusive a você mesmo.
A programação inconsciente foi substituído com consciência, e não há prisões emocionais ou mentais mantendo você em cativeiro.

Você assume a responsabilidade por toda a sua vida, já não culpa ninguém por nada. Como você se libertou, libertou todas as pessoas que já foram alvo de seu julgamento e expectativas.

Você já não está tentando provar o seu valor. Agora que você conhece e possui o seu valor intrínseco, e, como resultado, você experimenta incondicional amor-próprio.

Embora você ainda pode estar sozinho em sua jornada, você tem uma conexão profunda com toda a vida e a sensação de solidão está provavelmente desbotada em toda a unidade. A necessidade e desejo pelo o velho paradigma de relações mudou e você já não anseia se adequar ou ser "normal." Você se permite ser exatamente quem você é, sem a necessidade de aprovação ou aceitação de qualquer um. Você não tem mais a necessidade de mudar alguém ou ajudar aqueles que você ama acordar, e você está agradavelmente surpreendido que algumas pessoas que você conhece estejam realmente despertando. Todos os seus relacionamentos melhoram, e as novas pessoas que entram em sua vida estão mais alinhadas com quem você é.

Nesta etapa, você integrar seus conhecimentos e desenvolver uma maior compreensão para a jornada que percorreu. Você pode ensinar, ser mentor ou compartilhar, mas não porque você sente que você tem que, ou porque você precisa, mas só porque lhe traz alegria e você é guiado para o fazer. Você pode ter um forte desejo de apoiar os outros em sua viagem ou você pode ter nenhuma inclinação qualquer. Se você assumir o papel de professor, mentor, curador ou treinador, você não assume a responsabilidade pelos outros, mas sim, que você pode capacitá-los a se capacitar. Você não toma nada pessoalmente, e o comportamento de outros têm pouco, ou nenhum efeito sobre você.

Durante o estágio quatro, é comum ter algum tipo de prática espiritual, como a meditação, yôga ou outros, mas não porque você está tentando chegar a algum lugar ou realizar algo (como na etapa anterior), mas sim porque é bom para você, e é uma expressão natural de sua vida.
Você também pode experimentar aumento da intuição e a capacidade de acessar a inteligência infinita, como se tivesse uma linha direta com informações ilimitadas.

Esta fase é marcada por viver o momento.

Você fez as pazes com a percepção de que não há nenhum propósito ou objetivo à vida, e, como resultado, é fácil viver no momento presente. Seu amor pela vida e todos os seres vivos transborda incondicionalmente com gratidão e apreço como um estado comum de ser.

Os conceitos de bom e mau foram dissolvidos, e, ainda, você tem a plena consciência que dentro de todos e de tudo está o amor.

Você faz um balanço de si mesmo, percebendo que você ainda é você. Você está livre de ego-controle, e não há "peças autênticas" se perdendo no caminho para o despertar. Sua personalidade pode ser a mesma, mas é provável estar mais fácil e iluminada pelo coração.

Ou você ter encontrado um modo de vida que está alinhado com quem você é, ou fez as pazes com o seu momento atual.

Não há realmente nenhuma ideia de felicidade, porque não precisa de mais nada para fazer você feliz. Você percebeu que o segredo da felicidade é viver o momento e agora é fácil de estar presente em todos os momentos.

Você já aprendeu a dominar seus pensamentos e crenças, mas, surpreendentemente, você pode não ter nenhum desejo de mudar alguma coisa em sua vida.

Embora você provavelmente experiencie uma gama completa de emoções, as emoções não governam você ou controlam suas escolhas ou relacionamentos.

O seu eu superior está integrado no seu corpo, e você vive sua vida como real.
Você está finalmente consciente e desperto, e grato que no seu passado "adormecido" teve a coragem e tenacidade para fazer esta viagem. Valeu a pena - um milhão de vezes.


FASE 5 DO DESPERTAR - A fase de criação DE CONSCIÊNCIA:

A capacidade de criar conscientemente a vida no estado de vigília.
Muitas pessoas chegam ao estágio quatro e acreditam erroneamente que é o estágio final do despertar, mas na verdade é uma ponte para uma ainda maior experiência no despertar.

Na Fase 5 do despertar, você experimenta, e aprofunda, todos os atributos de estágio quatro, mas você também entrar em seu poder como criador consciente.

Embora não haja nenhum ponto pré-ordenado ou propósito para a vida, você compreende agora que o ponto e propósito de vida pode ser qualquer coisa que você escolher, e você integra esse entendimento ao escolher conscientemente o propósito da sua vida, porque esse é o ponto. Trabalho e lazer se fundem num só, e você experimenta paz e realização igualmente em ambos.

Você não precisa mais fazer nada por obrigação ou necessidade, mas, em vez disso, você é guiado através da inspiração e do desejo puro.

Você experimenta uma ligação direta a toda a vida, e você está inspirado para criar de uma forma totalmente nova. Através da conexão intuitiva com a Inteligência Infinita, pode desenvolver novos paradigmas da construção de uma comunidade, de ensino ou de liderança.

Nesta fase, você tem a capacidade de atrair relacionamentos e formar comunidades que suportam o aperfeiçoamento da humanidade. Desde que você domina seus pensamentos e crenças, agora pode criar conscientemente a vida que deseja; vivendo no momento, além de criar o futuro.
EM RELAÇÃO PURA COM O CRIADOR, VOCÊ É CANAL DE EXPRESSÃO EM TUDO QUE FIZER:

Seja qual for o estágio que você pode agora estar passando, você não pode estar errado e não existem testes para passar. Despertar é simplesmente um processo natural, assim como a lagarta que desperta como a borboleta.

Uma pergunta comum é, quanto tempo cada etapa dura? O tempo que passamos em cada etapa não é predeterminado, mas podemos passar por uma fase mais rápido e mais fácil quando nós utilizamos a prática de mentalização de "deixar ir" (desapego). Desapego é verdadeiramente o segredo do despertar.

À medida que mais e mais pessoas despertam, um limiar de despertar vai ser experimentado, e as massas despertarão num paradigma diferente do que aqueles de nós que já temos despertado ou que estão despertando agora. Os estágios do despertar será menos definido e talvez até desapareça por completo.

Não importa onde você está no seu caminho para o despertar, você está exatamente onde você precisa estar..

No amor, graça e gratidão." 

(Fonte: tradução do texto do link abaixo)
the-5-stages-of-awakening-the-signposts-and-pitfalls-on-the-path-of-consciousness/

Mooji


Você não deve se envolver emocionalmente com os fenômenos que você está percebendo através da mente. Nós todos sabemos que é um campo impermanente. Resista à identificação aqui. Tudo está passando, movendo-se de acordo com a sua própria lei. Fique quieto. Não julgue ou interprete nada pessoalmente. Aqui há total silêncio, vazio - seja um com ele.
Se houver uma tendência para julgar ou interpretar alguma coisa, isso é também observado. Apenas permaneça como a testemunha de tudo. Aos poucos você começa a reconhecer o fundo imóvel e silencioso de tudo o que surge como movimentos nesse campo consciente.

Este fundo não é o observador, mas a observação ocorre nele. Simplesmente observando acontece naturalmente nesse espaço de neutralidade. Você está apenas observando de uma forma muito passiva e neutra. Continue observando e veja o que permanece. É o observável que permanece ou é você que permanece? Olhe e veja.

Dois reis não podem se sentar num trono.
Ou a presença está lá e pessoa não.
Ou a pessoa está lá e presença não.
Mooji
_________________________________
Site:
http://mooji.com.br/
Canal do Youtube:
http://www.youtube.com/user/MoojiPortugues

quarta-feira, 6 de abril de 2016

O CHACRA RAIZ - Mensagem da Terra


O CHACRA RAIZ
Mensagem da Terra 
Através de Pamela Kribbe,
Março de 2016

Queridos amigos,

Eu sou a Terra. Eu os amo; vocês são meus filhos. Vocês se movimentam sobre a minha superfície, enquanto estão ocupados com as pressões da vida cotidiana, e eu os acompanho e anseio que retornem logo à sua essência; desejo despertá-los para aquilo que vocês são em essência.


Cada um de vocês está numa jornada em direção ao interior de si mesmo; sua alma deseja descer totalmente à Terra, fundir-se com seu corpo humano, viver e manifestar-se aqui. Enquanto você procura meios de transcender sua humanidade, sua alma busca acolher a corporificação. Ela quer ser humana, descer totalmente à Terra e criar uma fusão entre a alma e o ser humano. Este é o seu propósito na Terra.

Hoje falaremos sobre o chacra raiz, o centro de energia situado na parte inferior da sua coluna vertebral, o chacra mais próximo da Terra, e aquele que é mais afetado por ela.

Em muitas pessoas, existe medo alojado nesse chacra. Se pudessem enxergar o chacra raiz da maioria das pessoas da Terra, perceberiam que ele não é inteiro, é fragmentado ou – em certos casos – é um vazio. Como resultado disso, muitas pessoas duvidam de que estejam realmente em casa aqui na Terra, de que possam realmente sentir-se seguras e bem-vindas aqui.

A Terra é um lugar com potencial para muita abundância e riqueza, e com isto quero dizer uma riqueza de experiências para vocês como almas. Muita alegria e inspiração podem ser experimentadas aqui, mas atualmente existe muita escuridão na Terra. Por muitos séculos, a humanidade vem sendo prisioneira de ilusões e medos que podem transformar a vida na Terra num inferno; assim um véu desceu sobre a sabedoria natural do ser humano. Há um estranhamento que atinge o âmago do seu ser.

A capacidade de viver, no verdadeiro sentido da palavra – viver em alegria e com inspiração – só pode vir da natureza, mas o ser humano se colocou em oposição à natureza, tentou passar por cima da natureza e impor, de forma voluntariosa e obstinada, uma estrutura e ordem à realidade do mundo que o cerca. Mas isto não funciona.

Vocês estão vivendo no meio dos fragmentos de uma imagem antiga do mundo, a qual está perdendo sua validade rapidamente. É uma visão na qual o ser humano é o organizador e manipulador do mundo à sua volta. O ser humano procurou controlar a natureza a partir de sua mente e sua lógica e, com isto, tornou-se alienado de si mesmo, perdendo a ligação com o que lhe é mais natural: seus sentimentos e a unidade com a realidade viva da natureza que o envolve.

Uma vez que você perde a conexão com sua vida interior, perde também a conexão com a vida exterior. Desenvolve, então, uma frieza, um endurecimento que pode ser observado em muitos corações humanos. No chacra raiz de muitas pessoas, é bem evidente que elas não se percebem conectadas à Terra de uma forma viva, vital, devido ao medo e à repressão que se alojaram ali.

Em canalizações anteriores, descrevi como a alma desce à Terra. Ela deseja muito encarnar aqui e descer ao nível mais profundo da matéria, de modo a trazer luz à Terra e possibilitar que a matéria se torne viva a partir de dentro. Falamos sobre a jornada através dos chacras inferiores, uma jornada que se inicia no coração e se estende pelo abdome para o plexo solar, para o chacra umbilical e finalmente para o chacra raiz na parte inferior da coluna vertebral.

É sobre este chacra que desejamos falar hoje. Como curar essa sua parte? Como curar o medo e a dúvida que estão lá? Como encontrar uma resposta às perguntas: “Tenho permissão para estar aqui? Sou bem-vindo aqui? Posso deixar que minha luz ilumine meu nível mais profundo, o âmago da minha vida?”

Você está muito acostumado a se adaptar ao mundo exterior, o que inclui as expectativas da sociedade, mas agora a humanidade precisa de pessoas que queiram seguir um novo caminho, de modo a permitir que a natureza reviva.

Estou falando da natureza em mim – sua mãe, a Terra – e especialmente, e antes de tudo, da natureza em você mesmo. E que você faça isto levando um novo ânimo às suas partes endurecidas e congeladas, para que elas se dissolvam, tornem-se quentes e maleáveis, e possam fluir naturalmente outra vez.

Como realizar esse processo dentro de si mesmo? Como observar, acolher e liberar o medo primordial que está trancado no seu chacra raiz? Hoje quero falar sobre três maneiras de fazer isto.

A primeira é vivenciando a beleza da natureza. A fim de tranquilizar suavemente o seu primeiro chacra, ou chacra raiz, ou períneo (nomes relativos ao mesmo centro energético) e induzi-lo a se abrir e sentir-se à vontade na Terra, você precisa procurar um lugar em meio à natureza, no qual se sinta em paz; um lugar onde você assimile a beleza da natureza: das árvores, plantas, flores, animais, pássaros, das nuvens, do céu, do ritmo das estações; um lugar onde você consiga sentir admiração pela atmosfera e beleza da natureza.

Se não conseguir encontrar um lugar como esse do lado de fora, observe uma planta ou um vaso de flores dentro da sua casa. Há sempre alguma coisa da natureza que pode ser encontrada nos arredores. Assimile sua beleza natural, mas tente também perceber do que consiste essa beleza. Esta não é uma beleza superficial, não é uma beleza ideal que foi determinada por outros de acordo com os padrões humanos de belo e feio.

Ao contrário, é uma beleza que vem da sua natureza intrínseca; é a própria vida que você vivencia como beleza: a simplicidade e a entrega que flui através de uma planta, ou de uma árvore, que está em harmonia com as estações; um pássaro que canta; a inocências dos animais que seguem o curso de suas vidas descontraidamente. Tudo isto é que toca você.

O que lhe peço é que se reconheça na natureza. Geralmente você pensa que está fora da natureza, da harmonia e equilíbrio que se encontra lá, mas você faz parte dela. Tente sentir isto agora, enquanto assimila a beleza, o equilíbrio, o ritmo da natureza, porque essas qualidades querem fluir através de você também. Sua atividade mental pode construir barreiras contra esse sentimento e dizer-lhe que você não faz parte disso, mas você faz, sim, porque vive num corpo.

Admire o seu corpo do mesmo modo que admira alguma coisa da natureza. Para fazer isto, você precisa começar a vivenciar seu corpo a partir de dentro e não de fora, não se concentrando na aparência externa dele e em certos padrões que ele deveria satisfazer. Todas essas imagens de beleza estabelecidas pela sociedade são uma carga muito pesada que o fazem sofrer e que são inventadas e falsas. Elas são tão frias e artificiais quanto a mentalidade que as cria e prescreve – elas não são reais!

Simplesmente observe os pássaros e as folhas das árvores. Nenhum é exatamente igual ao outro, cada um é único. Você não os compara um com o outro, mas simplesmente observa a harmonia e equilíbrio naturais que emanam da natureza, quando você caminha por um bosque ou uma praia.

A simplicidade da natureza – como revelada em toda sua complexidade – é o que aquieta o ser humano enquanto ele caminha por ela. Agora, sinta como você mesmo faz parte desse fluxo, assim como faz parte da inocência. Você pode ser quem você é – uma parte da natureza. A natureza, inclusive, quer se revelar por seu intermédio, de maneira alegre e equilibrada.

Em seguida, dê um passo adiante… concentre toda sua atenção no seu próprio corpo. Você pode fazer este exercício (se quiser chama-lo assim) quando estiver em casa ou quando estiver num belo espaço da natureza, o que, talvez, seja até melhor.

Dirija sua atenção para dentro de si e então imagine que você é tão parte da natureza quanto uma bela árvore. Energias fluem através de você, e fluidos fluem em você, que sabem exatamente para onde devem ir. Seu coração está batendo, seu sangue está correndo, e cada qual sabe o que precisa fazer.

Embora seu corpo seja um organismo complexo, todos os órgãos sabem o que fazer e, assim, eles naturalmente tendem à saúde e à vitalidade. Sinta que você está incluído no poder renovador e curador que é próprio da natureza. Existem tantas correntes curativas presentes na natureza e todas elas estão disponíveis para o seu corpo. Suas células vivas sabem do que você precisa, porque seu corpo é um organismo muito sábio.

Agora considere que seu corpo tem uma linguagem própria. Sua alma se revela através dele e dentro dele, e é isto que a alma realmente deseja fazer! O corpo não é uma coisa inferior, o corpo é um livro maravilhoso, um manual da alma.

Agora, imagine que este seu corpo lhe foi dado como um belíssimo presente da Criação. Sinta o respeito da Criação pelo seu corpo, e como a vida quer cuidar carinhosamente de você. Você está tão acostumado a ver seu corpo a partir de fora e criticá-lo; sinta-o agora a partir de dentro. Sinta como ele surge de uma fonte infinita de vitalidade e alegria, e como você pode lhe dar forma e alimentá-lo com a força que vem da parte mais profunda da sua alma.

Perceba a força vital intensa que emerge do seu chacra raiz. Veja a cor vermelha ao redor dele – ou qualquer outra cor que surja espontaneamente. Sinta como, a partir desse “fogo”, dessa intensa força vital, uma corrente quente e curativa flui através do seu corpo… das suas pernas, sua coluna, sua cintura… permita que ela flua para seus ombros, braços e mãos.

Sinta-se ancorado na Terra, sinta seus pés por dentro e como eles se apoiam em mim, a Terra, e sinta a força vital que está disponível no solo também. Pergunte ao seu corpo: “Você se sente bem? Há algo que eu possa fazer por você? Precisa de alguma coisa de mim?” Pergunte apenas, e espere pacientemente. Pode ser que seu corpo não lhe responda imediatamente. Talvez você ainda tenha que aprender a conversar com seu corpo desta maneira, mas saiba que é possível fazer isto.

O corpo está ouvindo você. Você é sua força motriz, então é lógico que ele quer entrar em contato com você – basta perguntar-lhe. Leve sua atenção a caminhar gentilmente por todo o seu corpo. Comece pela sua cabeça. Deixe sua atenção circular como um sussurro suave, um fluxo delicado, ao redor da sua cabeça.

Imagine que sua atenção seja como uma brisa leve, que pergunta carinhosamente ao seu corpo: “Está tudo bem com você? Posso ajudá-lo? Você é uma dádiva maravilhosa! Posso envolvê-lo com algo que você precise?” O simples fluxo da brisa suave da sua atenção já estimula suas células e as torna felizes. Elas dançam num círculo de alegria, quando sua atenção as toca com seu amor.

Permita que sua atenção circule o seu pescoço e seus ombros. Deixe-a fluir através do seu coração, plexo solar, chacra umbilical e, finalmente, de volta ao seu chacra raiz, localizado no seu cóccix, no final da sua coluna vertebral. Observe-o bem.

É possível que perceba alguma imagem ou sensação no seu chacra raiz… talvez sinta um antigo medo, um congestionamento ou bloqueio, mas não precisa fazer nada a respeito disso. Só precisa estar presente enquanto essa brisa suave o acaricia delicadamente. E mesmo que você não sinta nada e não veja nada, está tudo bem.

Simplesmente esteja presente com sua atenção, porque ela cura: ela é libertadora para o seu corpo. Seu corpo quer ser visto e ouvido, não apenas como um mecanismo que lhe permite fazer as coisas; ele deseja ser apreciado por sua própria beleza; não só a beleza que você vê como imagens nos jornais e revistas, mas o tipo de beleza de um pássaro sobre uma árvore, ou mesmo de um sapo à beira de uma lagoa.

Esta é a beleza do modo comum de ser, uma beleza saudável, com suas cores e formas naturais.
Este é o tipo de atenção que o corpo deseja receber da sua mente.
Ele quer saber que você o aprecia.

Agora, deixe a brisa mover-se suavemente do seu chacra raiz para a suas pernas, descendo para seus joelhos, tornozelos e calcanhares, para as solas dos seus pés, e também para os dez dedos dos seus pés. E sinta como você é levado pelo fluxo da vida. Uma influência curadora se manifesta devido à atenção que você dedicou ao seu corpo neste exercício… se quiser chamá-lo assim, pois, na verdade, é apenas uma questão de reconhecer a fonte da qual você veio.

Assim, você começa com o primeiro passo, que é vivenciar a beleza da natureza. E depois dá o segundo passo, que é reconhecer essa mesma beleza em si mesmo, no seu próprio corpo. Você faz parte da natureza, da corrente natural da vida, portanto não precisa fazer nada para consegui-la, pois você é ela.

O terceiro passo é conectar-se com a vitalidade e vibração dentro você, inclusive deleitando-se ao experimentar a solidez, segurança e despreocupação do seu chacra raiz. E quando digo “deleitando-se” refiro-me a algo diferente do que você talvez espere.

Peço-lhe para encontrar sua criança interior, imaginando que você é uma criança de cinco anos de idade. Tente não pensar demais nisto, mas apenas sentir o corpo dessa criança, sua força vital, sua juventude. Ela está em pleno desenvolvimento, portanto é curiosa e quer saber todo tipo de coisas.

Essa criança ainda vive em algum lugar dentro de você, e eu lhe peço que se conecte com ela e faça o que essa criança quiser fazer. Pode ser que ela se sinta ansiosa, que tenha sido reprimida, que esteja com medo… portanto é possível que, no início, ela se apresente a você através de uma emoção negativa, que parece contradizer a ideia de “deleitar-se”.

Entretanto, o que desejo que você compreenda é que essa criança é a sua parte mais espontânea, a parte que não é feita de sentimentos refinados e apropriados, de acordo com o que lhe foi ensinado pelos que o criaram e pela sociedade. Pelo contrário, esta criança é a sua parte primordial, a parte de você que carrega a sua originalidade e, portanto, a sua parte mais natural e espontânea. 

Peço-lhe que torne essa criança visível. Visualize-a. Pode ser que não se forme uma imagem imediatamente, mas tente imaginá-la. Imagine que agora você é uma criança de mais ou menos 5 anos. Pegue a primeira imagem que lhe vier à mente e simplesmente observe-a.

Como é essa criança? É feliz ou triste? Está rindo ou parece infeliz? Ela é alegre ou desanimada? Está assustada ou se sente segura? Estenda sua mão para essa criança e veja se ela a toma. Espere pacientemente, porque você tem todo o tempo necessário, para essa criança. Peça-lhe para sentar-se com você e tome-a em seus braços.

Pode ser que ela fique feliz e se atire em seus braços, ou pode ser que se mantenha distante, porque se sente desconfiada. Mas, isto está bem também. O mais importante é que você se conecte com essa criança e tente entender melhor o comportamento dela e descobrir as emoções profundas que lhe podem ser reveladas através dela.

Não se trata de curar e melhorar tudo imediatamente; trata-se de perguntar à criança: “O que você deseja de mim agora? O que você gostaria de fazer? Do que você precisa mais neste momento?”

Isto é uma coisa que você pode fazer com frequência no seu dia-a-dia. Crie o hábito de voltar-se para dentro de si mesmo e perguntar à sua criança interna do que ela precisa. É assim que você se conecta com o fluxo primordial de vida em seu interior, o qual se revela com muito mais facilidade em crianças do que em adultos, cuja vida emocional é tão estruturada e limitada por regras mentais.

Deixe que a sua parte mais espontânea fale, pois ela realmente deseja expressar-se através de você e, assim fazendo, tornar-se novamente uma fonte de beleza. Mas não um tipo artificial de beleza, e sim uma beleza original e selvagem, como o riachinho que em alguns lugares é muito tranquilo e imóvel, enquanto, em outros, é extremamente violento, cascateando penhasco abaixo. A sua criança interior é a água vivente que deseja fluir e movimentar-se; então permita a si mesmo ser movido por essa criança.

De vez em quando, faça esta conexão no aqui e agora. Desta forma, você traz a si mesmo de volta ao seu próprio ser fundamental. É importante que a criança se sinta segura, ou seja, que você vivencie segurança em seu ser, no seu chacra raiz, na sua base. Isto significa que você pode confiar em si mesmo para consultar suas profundas emoções internas.

Significa que você não precisa esconder-se de si mesmo, mas pode encarar seu próprio medo e perdoar e acolher todo o seu ser. Quando a criança interior for bem-vinda em você, você terá conquistado o mundo! Não haverá nada mais que realmente lhe possa acontecer, porque você terá dito “sim” para a vida, para os altos e baixos, seus picos e vales; e isto é segurança.

O fato de saber que você está seguro não se baseia na previsibilidade de como as coisas vão se desenvolver, nem na certeza de um bom futuro, garantido pelas coisas que você assegura com a sua mente.

Viver verdadeiramente é entregar-se às mudanças, a todas as voltas inesperadas que a vida dá – como as que um rio pode encontrar pela frente e, ainda assim, sentir-se seguro. Isto só é possível se você confiar no curso da própria vida. Não a partir da mente que observa esse fluxo de fora, mas sendo o próprio fluxo e, ao mesmo tempo, permanecendo confiante.

Isto é segurança e solidez, esta é a verdadeira força interior, e isto você só pode encontrar dentro de si mesmo, no seu corpo, na sua parte criança! Fazer isto lhe exige um grande esforço, porque lhe foi ensinado que você deve controlar a vida através da sua mente, do seu lado mental. Mas agora lhe está sendo pedido que você volte à fonte da própria vida, e isto não pode acontecer por meio da mente, e sim pela espontaneidade da sua natureza.

Não se engane, a natureza não é caótica. Na natureza são aplicadas leis naturais, mas estas são muito diferentes daquelas que você consegue compreender com sua mente racional ou através da lógica. É uma questão de viver a partir da percepção de si mesmo, sentindo para onde o fluxo da vida quer que você vá. Mantenha-se em contato com seu corpo e com a natureza.

Mantenha-se em contato com sua criança interior e você verá que a vida também se desenvolve de acordo com leis, mas leis de uma espécie completamente diferente – não as da lógica, mas aquelas sussurradas pelo Todo Maior, se você se dispuser a escutá-lo. E saiba que esse Todo inclui você e que o seu bem-estar está no centro do coração dele. Você está conectado com esse Todo, e quando realmente se entrega a ele, você sente que é guiado e amparado por algo inominável, algo grande e bom, algo seguro, no qual você pode confiar.

Eu também faço parte desse Todo Maior. Eu mesma, a Terra, formo um todo com tudo que vive e se desenvolve sobre mim. Mas sou apenas uma pequena parte do Cosmos maior, e através dele tudo flui para algo que você chama de Deus, e que eu chamo simplesmente de “Vida” – algo que é infinito e indestrutível.

Você é uma pequena centelha nesse fluxo, mas é também infinito e indestrutível, independentemente da forma que você assuma. E é nisto que reside a verdadeira segurança que você é capaz de experimentar aqui na Terra. Sinta-se a centelha de uma grande corrente de energia quente, fluida e amorosa, que permeia o universo.

Eu estou com você. Quero dar testemunho desse fluxo, da sua veracidade. Observe a beleza à sua volta, que ainda é visível na Terra: a beleza das plantas, dos animais; e a beleza da pureza e inocência em você e também nas pessoas ao seu redor. Observe tudo isso outra vez e retorne à vida, e abrace-a!

Muito obrigada pela sua atenção.


http://www.decoracaoacoracao.blog.br
 https://lecocq.wordpress.com
© Pamela Kribbe www.jeshua.net
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com

CONECTANDO-SE COM A REDE DA NOVA TERRA


CONECTANDO-SE COM A REDE DA NOVA TERRA
Mensagem de Emmanuel Dagher
5 de Abril de 2016


Se você presta muita atenção ao mundo interior e exterior, é provável que tenha notado que, sejam elas sutis ou não tão sutis, grandes mudanças estão ocorrendo em sua vida, e no mundo.

Estas mudanças foram muito apoiadas pelos alinhamentos celestiais que ocorreram no mês passado.

Onde estamos agora?

Embora tenha havido muito movimento e ação em Março, houve também muita incerteza, instabilidade e o que parecia um fechamento de portas em todos os lugares.

Se você experienciou mais do último, até o final de Março você teve vislumbres de maior clareza, estabilidade e oportunidades para avançar.

A REDE DA NOVA TERRA

Agora, estamos em uma janela especial do tempo, onde iremos ancorar e materializar a Grade da Nova Terra em saltos quânticos. Isto já foi colocado em movimento há décadas por muitos Mostradores do Caminho, Curadores, Sensitivos e Trabalhadores da Luz.

Estamos muito gratos àqueles que abriram o caminho para que todos nós estejamos aqui agora.

Embora a Rede da Nova Terra tenha levado décadas na criação, há uma linha do tempo muito concentrada ao longo dos próximos meses que, quando utilizada, ajudará a materializar um grande salto na consciência da humanidade.

Isto também irá se apresentar de maneira que irão nos unir com as nossas Tribos de Alma.
Esta Tribo de Alma refletirá para nós uma sensação de “lar” e de “segurança”.

É importante que estejamos atentos às pessoas que entrarem em nossas vidas nos próximos meses, pois muitas delas serão uma parte da Tribo de Alma que nos ajudarão a nos conectarmos mais com a Rede da Nova Terra.

A Rede da Nova Terra é o fio de ouro do amor e da Lógica Divina, que está construindo a base resistente e firme da Matriz da Nova Terra, agora se elevando de todos os cantos do planeta.

COMO SE CONECTAR COM A REDE DA NOVA TERRA

Há muitas maneiras de se conectar com a Rede da Nova Terra.
A maneira mais simples, rápida e eficaz será destacada nesta Previsão.

AUTENTICIDADE E TRANSPARÊNCIA

Uma das coisas mais eficazes que podemos fazer para nos conectarmos instantaneamente com a Rede da Nova Terra é sermos completamente honestos – em primeiro lugar, com nós mesmos e, em seguida, com o mundo que nos rodeia.

O primeiro passo é fazer um inventário rápido de onde em nossas vidas já estamos sendo completamente honestos, autênticos, transparentes e que outras áreas podem se beneficiar ao terem mais destas qualidades.

Ser honesto e autêntico não é ser confundido com ser intencionalmente cruel, rude ou prejudicial, especialmente da maneira com que entregamos a nossa verdade. Os últimos comportamentos não têm espaço na Rede da Nova Terra.

Algumas questões simples que podemos nos fazer para ajudar a evocar uma maior autenticidade são: “Quais são as coisas que mais me importam na vida?” E “Quem eu sou quando me expresso livre e plenamente a partir do coração?”

UMA VONTADE DE REALMENTE SE CURAR

Com frequência, quando nos curamos de um desequilíbrio aparente em nossas vidas, um grande fardo que tinha ocupado a nossa atenção é retirado de nossa energia.

Embora o Espírito goste de viajar de forma leve, a mente, às vezes, leva um pouco mais de tempo para ser convencida, simplesmente, porque ela já se acostumou aos fardos que ela carregava.

Há diferentes níveis de disposição, especialmente quando se trata de cura. Para muitas pessoas, não é até que os seus pensamentos estejam cada vez mais desconfortáveis quando eles estarão preparados e dispostos a curar e abrir mão das histórias com que elas se identificaram por tanto tempo.

Estas são as histórias que a mente usa para reforçar a idéia de que se está prejudicado ou carente de alguma maneira. Essencialmente, estas são as histórias que criam a consciência de vítima/sobrevivência, que é realmente o aspecto menos elevado da consciência da humanidade.

No entanto, estamos em um momento extraordinário agora, onde já não precisamos nos identificar ou agirmos a partir da consciência de vítima. Temos a oportunidade de mudar as nossas linhas do tempo pessoais e coletivas, de modo que possamos realmente começar a agir a partir da parte mais emponderada e soberana de nós mesmos.

Isto é também conhecido como o nosso aspecto do Espírito/Deusa/Deus/Eu Superior.
Assim, a questão se torna: Estamos realmente dispostos e preparados para a cura?

Ou seja, estamos dispostos a abrir mão dos padrões dramáticos, das inseguranças, das histórias, do medo, preocupação, carência, vícios, culpa, auto-sabotagem, culpa, ou quaisquer outros comportamentos que afirmem a consciência de vítima?

Uma vez que obtenhamos um “sim” interior, podemos, então, começar a fazer perguntas como: “Quem eu sou fora das histórias limitantes com que a minha mente se identificou?” “Que passos estou disposto a dar para descobrir isto?”

Se você está achando que não está se curando tão rapidamente quanto gostaria – a “cura” sendo apenas outra palavra para lembrar a plenitude, a perfeição e a abundância que estiveram dentro e ao redor de você, o tempo todo – então, convide a sua mente para refletir sobre como isto pode ainda estar se identificando com a velha consciência de vítima.

A mente pode imediatamente resistir, e pensar algo como: “Eu não quero os velhos padrões! Eu quero realmente a cura.” Entretanto, questione-a. Pergunte: “Você quer realmente a cura? Porque, claramente, você está ainda encontrando conforto no velho desconforto.”

Uma vez que comece a questionar a sua mente desta maneira, ela começará a iluminar partes do cérebro que estiveram adormecidas. Estas são as partes que permitem que mais sabedoria e insights venham, de forma clara.

AME DE FORMA INCONDICIONAL

A idéia do amor passou por muitas interpretações erradas na maior parte das sociedades.

Aprendemos através de religiões, de doutrinas, da mídia e de tradições que, a fim de experienciarmos o amor, temos que nos preocupar com isto, buscar por ele fora de nós mesmos, sacrificarmo-nos por ele, experienciarmos a dor e o desgosto com ele, sofrermos por ele, desistirmos de coisas que queremos para tê-lo, acreditarmos que ele é condicional e assim por diante.

O verdadeiro amor é sempre fácil, incondicional, expansivo, alegre, eterno, firme e sem julgamento. É simplesmente a maneira com que as pessoas interpretaram de forma errada o amor que criou a ilusão de que ele é menos do que estas qualidades.

Durante os próximos meses, uma das coisas mais importantes que podemos fazer para nos conectarmos com a Rede da Nova Terra é redescobrir o que é o amor realmente e, então, começarmos a nos elevarmos no amor. Em primeiro lugar, com nós mesmos e, em seguida, com o mundo que nos rodeia.

Por muitas gerações, a maior parte da humanidade aprendeu que é errado nos amarmos e nos honrarmos da mesma maneira que devemos amar e honrar os outros. Esta tradição é, na verdade, uma das principais razões por que a humanidade uma vez deixou de conhecer a Divindade de quem realmente somos.

Foi-nos ensinado a procurarmos fora de nós mesmos a resposta, quando ela estava em cada fibra do nosso ser, o tempo todo.

Graças a Deus, estes dias estão terminando rapidamente e as pessoas estão entendendo mais e mais que a fim de sermos a versão mais expandida, aberta, feliz e amorosa de nós mesmos no mundo, devemos, primeiro, começar a nos amarmos verdadeiramente.

Para a mente, isto pode não vir facilmente, simplesmente porque não nos foi ensinado como amarmos a nós mesmos.

Assim, podemos nos fazer algumas perguntas, tais como: “Como o amor incondicional me trataria, se ele estivesse incorporado em uma pessoa?” E “Como eu posso me abrir para ser esta pessoa?”

Eu o convidaria para fazer uma lista de todas as maneiras que uma pessoa incondicionalmente amorosa o trataria. Será que ela seria generosa, amável, sem julgamento, divertida, brincalhona, respeitosa? Será que ela a faria se sentir vista, ouvida, apreciada? Ela lhe traria presentes, cantaria para você, iria levá-lo em passeios especiais na natureza? E, é claro, a lista continua.

É sempre maravilhoso se conectar com um Companheiro de Alma de nossa Tribo de Alma – alguém que possa refletir estas qualidades para nós. No entanto, a fim de que isto aconteça da maneira com que realmente desejamos, precisamos começar a nos mostrarmos como o nosso próprio Companheiro de Alma, em primeiro lugar.

VENDO OS SINAIS

A partir de agora até Setembro, algumas das maiores mudanças em nossas vidas e no mundo têm também a oportunidade de serem algumas das mais incrivelmente belas. Se formos alguém que permitiu que a mente permanecesse focada em todas as coisas que não estão funcionando em nossas vidas, podemos (no momento) perder estas experiências que estão acontecendo bem debaixo do nosso nariz.

Mas, se tomarmos uma decisão consciente de sermos autênticos e amorosos, tão frequentemente quanto possamos, enquanto estando comprometidos com a nossa jornada interior de cura... então, prepare-se para que a festa de muitas vidas se inicie...

CONVOCAÇÃO

Em 15 de Abril, eu estarei nos Estados Unidos, em Nova York, facilitando uma cura global para cada ser vivo em nosso planeta, no centro de onde ocorre a diplomacia mundial.

Todos nós sabemos que as coisas devem continuar a mudar e a evoluir, a fim de que surja um novo dia, para que toda a humanidade se una como Uma família.

Juntos, já estamos fazendo muitos progressos na elevação da consciência da humanidade e eventos importantes, como este nas Nações Unidas, irão ampliar tudo o que já conseguimos e ancorar uma cura profunda nos corações de cada ser vivo no planeta.

Se quiser receber e participar da profunda cura que estará ocorrendo neste dia especial, simplesmente marque o dia e a hora do evento em seu calendário: 15 de Abril às 13:11 pm, Hora do Leste dos EUA (Nova York)

Durante este período, por favor, faça uma pausa por alguns minutos e envie uma clara intenção ao Universo de que a sua presença seja incluída na cura global e na ativação do amor incondicional e da luz que estarão ocorrendo neste momento, para toda a humanidade.

Esta será uma das MAIORES coisas que você e eu já fizemos juntos.

Por favor, compartilhe isto amplamente com os seus amigos e família, para que possamos garantir que todos aqueles que desejarem experienciar e contribuir com mais paz, alegria, amor, cura e abundância para todos, tenham a oportunidade de fazer isto agora.

Até a próxima vez,
Milagrosamente seu,

Emmanuel


http://www.decoracaoacoracao.blog.br
 https://lecocq.wordpress.com
www.emmanueldagher.com
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...