Pesquisar este blog

Traduzindo

sábado, 2 de abril de 2016

GRUPO ARCTURIANO – ABUNDÂNCIA

GRUPO ARCTURIANO – ABUNDÂNCIA

Mensagem do Grupo Arcturiano
Por Marilyn Raffaele
Em 20 de março de 2016



Queridos, bem-vindos a uma época em que as coisas parecem iguais 
para muitos do mundo, mas não para vocês que estão despertando. 
Muitos de vocês começam a ter experiências novas e incomuns e 
também insights mais profundos dos quais os outros não estão 
cientes. Continuem, pois a evolução está mudando para uma nova 
terra e um novo estado de consciência para aqueles que escolhem.

Nós desejamos falar sobre dinheiro, um assunto que parece causar 
muito caos e muitos problemas para o mundo. O sistema de crença 
humano a respeito do dinheiro é construído ao redor da dualidade 
– a consciência do dinheiro como um “bem” que precisa ser obtido 
ou um “mal” para ser rejeitado. Ambos são falsos estando baseados 
numa ignorância geral da verdade, normalmente acompanhados com 
um desejo de poder de muitos. O dinheiro é um meio de troca em si 
e de si mesmo não tendo outro poder além do poder que vocês dão.

Toda alma está procurando se encontrar e se lembrar, para descansar 
na paz, alegria e amor de novamente vivenciar quem e o que ela 
realmente é. Quando um indivíduo encarna na energia tridimensional, 
ele vem com um plano para quaisquer experiências necessárias para 
seu processo evolucionário. Uma vez na energia mais densa da 
terceira dimensão ele esquece isso, mas mantém esse anseio 
profundo de totalidade. Sem entender que o que ele sente é 
espiritual, ele começa a buscar externamente pelo que ele acredita 
que lhe trará felicidade de acordo com o estado atingido de 
consciência.

Procurar e lutar por algum bem percebido (normalmente dinheiro) 
no exterior não importa o custo para outros é como a maior parte 
do mundo ainda funciona. É a fonte de todo comportamento 
criminoso, lutas por poder, desonestidade, religiosidade, e assim 
por diante. Todo indivíduo está procurando experienciar sua 
totalidade inata, mas ainda não ciente de que ela está no interior, 
ele se volta para esse caminho no exterior até que em alguma vida 
em algum ponto ele desiste e começa a olhar para dentro, para 
onde ela está.

O dinheiro, como também todas as formas de abundância, é uma 
interpretação mental da totalidade e integridade dentro de todo 
indivíduo. A mente somente pode interpretar e manifestar 
externamente de acordo com o estado atingido de consciência 
e o sistema de crença de cada um. Se a totalidade divina não 
estivesse incorporada no interior, jamais ela poderia surgir 
externamente, pois o externo é o interno.

A abundância é uma lei divina infinita e sempre presente, mas 
a crença universal na dualidade e separação resultou num mundo 
de falta e limitação. Na dualidade sempre haverá os pares de 
opostos (abundância e escassez) e com a separação sempre 
haverá os que têm e os que não têm. Essas crenças são 
continuamente reforçadas pela consciência de consenso.

A lei da abundância é facilmente observada na natureza – 
as folhas nas árvores, a folhas da relva, as flores nos campos 
e os pássaros no ar. A natureza, quando permitido, sempre 
funciona de acordo com uma lei de abundância divina. Chegou 
o tempo para a humanidade em evolução começar o processo 
de ultrapassar as crenças de falta e suas muitas formas, pois, 
na realidade, não existe essa coisa de falta.

A falta, principalmente em forma de dinheiro, é uma crença 
muito difícil de ultrapassar. Ela e a lições de relacionamento 
representam os dois bloqueios mais difíceis para a consciência 
humana. As crenças de falta e limitação se desenvolveram até 
o ponto de se tornarem leis humanas porque para a maioria, 
todas as vidas anteriores foram vividas totalmente enredadas 
na energia tridimensional.

A memória celular até ser limpa, ainda carrega energias associadas 
com experiências de pobreza e fome de algumas dessas vidas. 
Entretanto, as leis humanas, tão reais como podem parecer ser, 
somente são crenças que nunca suplantam a Lei Divina.

A gratidão é uma chave poderosa para destrancar a abundância 
porque é o reconhecimento de que “Eu tenho”. Comecem com 
o que é familiar, agradecendo ao divino dentro de vocês por tudo, 
não importa como mundano ou aparentemente sem importância 
possa parecer. Comecem a reconhecer a abundância por toda 
parte ao seu redor até com algo tão simples como notar a bela 
roupa que alguém está usando ou uma linda casa que vocês admiram.

Comecem a dar graça antes das refeições, isso se já não o fazem, 
tornando um reconhecimento e gratidão pela sua totalidade divina 
se manifestando externamente como comida. Permitam a oração 
na hora da refeição ir muito além do agradecimento decorado e 
memorizado de alguma coisa baseado no conceito de um Deus 
que observa e escolhe quem abençoar – o Deus que o homem 
criou em sua própria imagem e semelhança.

Ao expressar gratidão ao outro por alguma coisa, vocês 
automaticamente reconhecem e honram o Eu quando percebem 
que não veio do outro, mas através dele. Não há outro e na percepção 
do UM todas as coisas simplesmente se movem de um bolso para 
outro. Por isso é tão importante parar de procurar externamente 
qualquer coisa – seu bem, felicidade ou satisfação. Um estado 
evoluído de consciência sabe que todo bem flui do interior, mas 
parece vir de outros.

Quando vocês começarem a aceitar a verdade de quem e do que 
são, honrando-se e amando-se como seres divinos, vocês se 
encontrarão automaticamente sentindo gratidão por tudo. Isso 
acontece porque agora são capazes de reconhecer toda 
experiência física, emocional, mental ou espiritual (agradável e 
também não tão agradável) como sendo um professor.

A abundância surge de forma infinita e variada de acordo com a 
necessidade do momento. O dinheiro é somente uma forma de 
abundância. Quando vocês recebem uma conta, olham em sua 
carteira e declaram: “Eu não tenho” vocês podem ter certeza de 
que é exatamente o que estão criando, pois vocês são criadores. 
Mesmo se tiverem apenas uma moedinha do mais baixo valor, 
olhem para ela sem julgamento e reconheçam: “Eu tenho”.

Como com todo aspecto da evolução espiritual, o conhecimento 
intelectual de uma verdade é apenas o primeiro passo. Vocês não 
podem sentar em aguardo absoluto de um saco de dinheiro cair 
do céu (embora isso possa acontecer se tiverem a consciência dele). 
Conheçam a verdade e então deem os passos humanos que são 
orientados a dar, seja trabalho ou assistência de algum tipo. Deixem 
suas ações ser o que ressoa com vocês e não o que os outros possam 
estar lhes dizendo para fazer, pois a orientação deles tão bem 
intencionada quanto possa ser, é a representação do estado de consciência 
deles e não do seu.

Mantenham-se abertos e orientados a respeito de todas as oportunidades 
de trabalho, não apenas o “emprego perfeito”. Assumir um emprego 
que vocês consideram benéfico para si e desempenhá-lo com sua melhor 
capacidade, envia uma mensagem de intenção ao Universo de que vocês 
levam a sério experimentar mais abundância e estão preparados para 
receber. Normalmente outra forma mais adequada de trabalho logo se 
apresentará. Todo trabalho é serviço e qualquer emprego que vocês 
tenham pode ser trabalho de Luz quando realizado numa energia 
de amor.

Comecem o fluxo de “Eu tenho” por dar em todos os níveis – 
físico, emocional, mental e espiritual. Pode ser tão simples como 
abrir tempo para encontrar roupas usadas e itens para doar. Deixem 
ir completamente a crença de que quando vocês dão, isso 
automaticamente significa menos para vocês. Vocês ultrapassaram 
esse estado de consciência e agora entendem que tudo flui para 
vocês vindo de uma fonte infinita de abundância e não de um 
esconderijo pessoal limitado.

Usem tudo dado como uma oportunidade para perceber o “Eu tenho” 
porque “Eu sou”. Deixem a energia de sua totalidade divina fluir para 
onde vocês são orientados para deixá-la fluir na percepção de que 
não se espera que vocês ergam o mundo inteiro, pois ainda há muitos 
que precisam do antigo. Sempre se lembrem de ouvir atentamente 
sua intuição, pois ocasionalmente acontece que um estudante 
entusiasmado sem saber se tornar um facilitador.

A falta precisa ser entendida pelo que ela é – uma crença baseada 
na dualidade e separação sem lei para apoiá-la – ilusão. O medo e 
o pânico que surgem de não ter o suficiente é o que conduz ao 
crime e perpetua o senso de separação. Nós entendemos suas lutas. 
Nossa mensagem hoje é que agora vocês estão preparados para 
começar a ver e experimentar o dinheiro como energia e não 
material embora ele aparente dessa forma.

Peguem algum dinheiro material e sintam-no, segurem-no e percebam 
que ele é um conceito material representando a totalidade da 
Consciência Divina que vocês realmente são.

A Consciência Divina é o Eu sustentado e o Eu mantido que incorpora 
tudo que existe e é mantido eternamente pela Lei Divina. 
Nunca pode ser mais ou menos, nem pode mudar ou estar ausente, 
pois é tudo que existe e, portanto, precisa ser a substância da qual 
vocês foram formados.

“Eu sou a substância da qual o dinheiro é formado”.

Nós somos o Grupo Arcturiano




Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...