Pesquisar este blog

Traduzindo

quarta-feira, 22 de julho de 2015

NOSSO SÉTIMO CHAKRA

Por Suzanne Lie PhD
Em 19 de junho de 2015

LOCALIZAÇÃO: A localização do sétimo chakra, 
também conhecido 
como o Chakra da Coroa, é na coroa da cabeça, a localização de 
nossa “moleira” quando bebês.

PÉTALAS: O chakra da coroa é conhecido como Lótus de Mil Pétalas. 
Quando limpo e aberto, ele é o nosso próprio Portal Estelar pessoal, 
ou vórtice, para as dimensões mais altas.

NOTAS E MANTRA: A nota musical para este chakra é o “B” e o 
Mantra é “aum” ou “ii” em si.

COR: A cor para o sétimo chakra é violeta. O vermelho, que é a cor 
mais baixa em nossa percepção física do espectro de luz e logo 
acima da luz infravermelha, rege o chakra da raiz. Inversamente, 
o violeta, a cor mais alta em nossa percepção física do espectro de 
luz, e logo abaixo da luz ultravioleta, rege o Chakra da Coroa.

REGÊNCIAS: O chakra da coroa rege o cérebro, o topo da cabeça, 
o cérebro inteiro e o sistema nervoso. Diz-se que também rege o 
olho direito. Na mitologia egípcia, o Terceiro Olho aberto é 
chamado de Olho de Hórus. O olho físico esquerdo rege a Lua e o 
mundo físico manifesto feminino e o olho direito rege o mundo 
espiritual não manifesto masculino. Portanto, o Olho Direito de Hórus 
desce o espírito na matéria e então alimenta esse Espírito no Olho 
Esquerdo de Hórus. Desta maneira o Terceiro Olho permanece aberto, 
aterrado no mundo físico e totalmente perceptivo.

Quanto mais fazemos o “download” de nossos poderes 
dimensionalmente superiores em nosso corpo físico, mais é 
essencial que estejamos centrados e aterrados. Se nós ligamos 
um pequeno ventilador, não precisamos de um terceiro pino. 
Entretanto, se estamos ligando um ar condicionado potente, nós 
precisamos ter esse terceiro pino – terra – ou podemos queimar o 
sistema elétrico de nossa casa. É igual com a casa da nossa Alma – 
os nossos vasos terrenos físicos – nós precisamos permanecer 
aterrados ou podemos queimar o sistema elétrico (sistema nervoso) 
de nosso corpo físico.

O chakra da coroa rege não somente o controle do cérebro de 
nosso sistema nervoso inteiro, mas também o controle do Eu 
Superior de nossa encarnação física inteira. Uma vez aberto 
nosso chakra da coroa, nós conseguimos ter conhecimento do 
nosso verdadeiro “cérebro” (mecanismo de controle) que existe 
além das limitações da terceira e da quarta dimensão. Nossa 
capacidade de perceber nossa vida física dessa perspectiva mais 
alta nos permite obter acesso à nossa consciência multidimensional. 
Enquanto nesse estado multidimensional, nós temos a capacidade de 
ver as inúmeras formas de nossa existência em muitos planos e 
realidades diferentes.

O chakra da coroa governa a Consciência Cósmica que é a nossa 
conexão à sabedoria espiritual, aspirações e conhecimento da 
Verdade. Desta perspectiva, nós nos vemos como uma centelha de 
consciência criando tudo e, paradoxalmente, “Sendo” TUDO. 
De nossa Consciência Cósmica, nós somos o sonhador sonhando 
um sonho e percebendo que tudo que é percebido é uma extensão 
do nosso EU.

Tal como o chakra da raiz representa nossa conexão à Mãe Divina 
ou Mãe Terra, o chakra da coroa representa nossas relações com 
nosso Pai Divino ou Pai Céu. O Pai Céu e a Mãe Terra se unem, Espírito 
na Matéria, para criar seu Filho do Amor – consciência em uma forma 
física. A Mãe Terra em nosso primeiro chakra aterra nosso poder e o 
envia para cima a partir da terra para se unir ao Pai Céu em nosso 
sétimo chakra. Esta Kundalini nos conecta com a energia que vem 
das dimensões superiores enquanto nos dá o poder e a responsabilidade 
de, por nossa vez, aterrar essa energia no plano físico.

Nosso relacionamento com nossas mães está associado com o nosso 
primeiro chakra. Se o nosso laço com nossa mãe não foi suficiente 
para as nossas necessidades, nós normalmente nos sentimos cortados 
de nossas raízes, e de nossa própria vida física, e nossas atitudes em 
relação ao lar, segurança e dinheiro, são influenciadas negativamente. 
Inversamente, o nosso relacionamento com nossos pais humanos está 
associado com nosso sétimo chakra. Visto que o chakra da coroa 
representa nossa unidade com toda a vida, nós temos uma sensação 
de isolamento de “Deus” e da humanidade se o nosso laço com o nosso 
pai é insuficiente.

SENTIDO: Nossos sentidos multidimensionais e extrassensoriais são 
regidos pelo sétimo chakra. Uma vez aberto esse chakra, nosso sentido 
de empatia e unidade se expande. Quando elevamos nossa consciência, 
nós experimentamos outra pessoa, local ou objeto como se nós 
estivéssemos dentro dele ou como se estivéssemos “sendo” ele.

Então, é importante que nós nos lembremos de que com este poder 
vem a responsabilidade. Nós deveríamos ativar esse sentido somente 
para proporcionar ajuda ou cura – NUNCA por mera curiosidade ou 
com qualquer intenção maliciosa. Compaixão é o sentido principal 
que se desenvolve quando nosso chakra da coroa se abre. Nós temos 
dois tipos de compaixão: Compaixão da Coroa que é mais sobre 
percepção e comunicação e Compaixão do Coração que é mais 
sobre emoções e empatia.

SIGNO ASTROLÓGICO: Os signos de Capricórnio e de Peixes regem 
esse chakra. Capricórnio rege a visão interior, concentração e a 
percepção essencial da matéria pela Luz Divina, e Peixes rege a 
dissolução de limites, devoção e Unidade com o TUDO QUE É.

ELEMENTO: O elemento deste chakra é a Energia Cósmica, que 
normalmente é experimentada como uma luz interior emanando 
da parte mais profunda de nosso ser. Esta Energia Cósmica, que 
rege os reinos superiores e se origina da Fonte, parece como uma 
inteligência máxima e uma sensação de saber tudo. Quando nosso 
chakra da coroa se abre nós também podemos experimentar o 
isolamento completo e a escuridão do Grande Vazio.

Esse Vazio, que ressoa logo abaixo da quinta dimensão, representa o 
potencial bruto para tudo que pode ser ou será. A escuridão total é 
representativa do centro de uma semente antes de se abrir para a 
luz da manifestação, pois nós podemos perceber de nosso chakra 
da coroa, nós podemos identificar ambos os extremos de todas as 
polaridades.

A abertura do chakra da coroa expande nossa percepção para a 
quinta dimensão onde NÃO existem polaridades. Portanto, há muitos 
paradoxos associados com este chakra, pois ele representa o “fim de 
todo paradoxo”. Quando nós viajamos pelas dimensões superiores, é 
importante que nós liberemos todos os julgamentos associados com as 
polaridades de claro e escuro. Ao invés disso, nós precisamos consultar 
nosso próprio saber interior e consciência superior para navegarmos 
pelos nossos mundos interiores. Eventualmente, todos nós estaremos 
cientes de nosso eu pentadimensional; ele não conhece julgamento e 
não tem medo. Pois o que é o julgamento, se não for uma forma de 
medo?

CONSCIÊNCIA: Visto que nosso chakra da coroa representa nossa 
consciência multidimensional, quando abrimos esse chakra nossa 
realidade não mais está limitada à terceira e à quarta dimensão. 
Quando o nosso chakra frontal, o sexto chakra, se abre, nós 
começamos a viajar para os subplanos mais altos da quarta dimensão. 
Com a abertura de nosso sétimo chakra e a ativação subsequente do 
nosso Terceiro Olha, nossa consciência pode agora entrar na quinta 
dimensão. É então que as muitas realidades ao redor e dentro de nós 
gradualmente se tornam conscientemente aparentes para nós.

O processo de nosso despertar começa com a expansão da consciência 
de nosso eu físico e o trabalho para limpar nossos corpos etéreos. Então 
a consciência EU SOU astral, mental, causal e espiritual podem se alinhar 
em preparação para ascender para a quinta dimensão. Até alcançarmos a 
quinta dimensão, nós podemos “trabalhar” para a iluminação, mas da 
quinta dimensão em diante, nós precisamos simplesmente “SER”. O 
“fazer” então não é importante; apenas a consciência é importante. 
E finalmente, na sexta e na sétima dimensão até a consciência não é 
importante, pois apenas há o “estado de ser”, o “estado do Agora” e 
o “estado do Aqui”.

Para experimentar os mundos acima da quinta dimensão mais baixa, 
nós precisamos liberar TODO desejo, até pelo “bom” ou “certo”, pois 
não há polaridade. Portanto, não há bom ou ruim, certo ou errado. 
Para viajar pelas dimensões superiores é necessária uma mente vazia, 
uma mente que não espera por nada nem quer nada, até a Verdade ou 
iluminação. Esta “mente vazia” apenas É. Ela é isenta de esperar, 
desejar e querer. Então, de repente, você está lá, e até o cosmos se foi.

LINHA TEMPORAL PESSOAL: O chakra da coroa representa o estágio em 
nossa vida quando estamos autorrealizados. Nós não precisamos mais 
das polaridades de masculino ou feminino, humano ou divino. Nós 
entendemos que esta realidade física não passa de um pequeno 
segmento do nosso EU total, e nós percebemos que nós escolhemos 
encarnar durante este espaço e tempo para realizar nossa Missão, 
nossa razão para a encarnação.

Riquezas e a adulação dos outros não são mais uma força motriz 
porque nós sabemos que a realização de nossa missão pode ou não 
ser reconhecida no plano físico. Nós também sabemos que quando 
estamos sintonizados na nossa orientação interior, as necessidades 
e medos de nosso ego serão equilibrados com amor, e tudo nos será 
revelado no Tempo apropriado.

Esse distanciamento não significa que estamos dissociados de nosso 
eu humano. Enquanto usamos uma forma física, há uma parte de nós 
que permanece limitada às regras da terceira dimensão e separada 
do nosso EU total. Entretanto, quando o chakra da coroa está aberto 
e nosso Terceiro Olho está funcionando, nós podemos ver nossa 
realidade da perspectiva de nosso Eu Superior. Então nós podemos dar 
ao nosso eu humano, que normalmente luta, o amor incondicional, 
a aceitação e o perdão que SEMPRE são necessários e merecidos.

Nesse estágio de nossa vida, nós percebemos que a terceira dimensão 
é um holograma de nossas próprias ilusões estabelecidas para que 
possamos aprender e crescer. Nós estamos cientes de que a terceira 
dimensão agora está colapsando na quarta e então quinta dimensão e 
nós somos ativos na facilitação deste processo. Na verdade, é provável 
que agora estejamos na quarta dimensão.

Como isso muda nossa experiência de “vida” é para cada um de nós 
descobrir e, com esperança, compartilhar com outros. Quando cada 
um de nós desperta, é nossa responsabilidade assistir no despertar de 
outros da maneira que nossa Alma indica. Deste modo, a ascensão 
planetária pode prosseguir. Todos nós somos Um, e toda vez que 
ajudamos o outro nós nos ajudamos. Paradoxalmente, toda vez que 
nos ajudamos, nós ajudamos outros.

LINHA TEMPORAL SOCIAL: Quando o suficiente de nossa população 
terrena abrir seu chakra da coroa e ativar seu Terceiro Olho, a 
consciência coletiva da Terra alcançará a quinta dimensão. Então nós 
nos tornaremos uma Civilização Galáctica com total conhecimento das 
formas de vida em outras dimensões, planetas e mundos. Nós não 
precisaremos mais fazer guerra uns com os outros, pois perceberemos 
que nós somos os Povos Unidos da Terra. Nós somos uma família, não 
somente em nosso planeta, mas também em nosso sistema solar, nossa 
galáxia e além.

Deste estado de consciência, nós não precisamos mais venerar quaisquer 
seres que consideramos “superiores” a nós, porque nós entendemos que 
nós também temos uma parte “superior” de nosso próprio ser que podemos 
constante e conscientemente acessar. Portanto, ao invés de 
venerar, nós comungamos e nos comunicamos.

GLÂNDULA ENDÓCRINA: O chakra da coroa é regido pela glândula pineal. 
A glândula pineal tem células fotorreceptoras, que regulam a secreção 
do hormônio melatonina. A melatonina regula nossos ritmos circadianos 
físicos, que são os nossos ritmos de desperto ou adormecido, ou 
consciência do mundo exterior e consciência do nosso mundo interior. 
A glândula pineal também é a ligação principal entre nossa Alma e nosso 
cérebro. Portanto, ela é o nosso portal para a consciência 
multidimensional.

Ciência e metafísica concordam que a glândula pineal funciona como um 
regulador de luz e que ela também tem um papel no nosso ciclo 
reprodutivo. Pesquisa científica sugere que a glândula pineal pode 
funcionar na conversão de informação neural sobre as condições de 
luz em liberação hormonal. Em outras palavras, quando há menos luz, 
a glândula pineal produz mais melatonina e quando há mais luz, ela 
produz menos melatonina.

Isso nos mantém acordados e operando na luz do dia e facilita nosso 
sono à noite. A glândula pineal também tem um papel significante no 
amadurecimento sexual, pois há uma abundância de melatonina nas 
crianças pequenas, que se acredita que inibe o desenvolvimento sexual. 
A glândula pineal encolhe quando entramos na adolescência e a 
puberdade começa.

A Metafísica nos ensina que a glândula pineal converte a Luz 
Cósmica de nossos corpos tetradimensionais para o nosso vaso 
físico para que possamos fazer o “download” dela em nossa 
consciência tridimensional. A glândula pineal rege nossos 
biorritmos de sentir elevado/luz e sentir abatido/escuro.

Porque nós vivemos na “terra das polaridades”, nosso chakra da 
coroa, e sua glândula pineal, é necessário para combinar a escuridão 
do Grande Vazio com a Luz Cósmica para integrar o espectro inteiro 
das dimensões superiores constantemente fluindo em nossa realidade 
física. Assim que a glândula pineal faz o “download” dessa energia, 
nossa glândula pituitária pode instruir as outras glândulas para nos 
assistir na elevação dos padrões vibracionais de nossa forma física.

PLEXO NERVOSO: O chakra da coroa nos conecta à nossa Consciência 
de Unidade. Portanto, esse chakra rege nosso cérebro e o sistema 
nervoso inteiro.

LIMPO: Quando este chakra está limpo nós podemos receber energia 
cósmica para iniciar o desenvolvimento de nossa Consciência 
Galáctica. Neste estado de consciência nós podemos perceber o 
Amor Cósmico e a Onisciência de nosso EU pentadimensional. 
Isso redesperta nossa capacidade de perceber os padrões de causa 
e efeito, também, e as matrizes de luz que criam as ilusões de nossa 
realidade física holográfica. Esta habilidade, entretanto, normalmente 
não é lembrada até sermos capazes de liberar pelo menos 51% de 
nossas crenças principais programadas da limitação e separação. 
O Caminho para a Iluminação é pavimentado com paciência, então 
precisamos ser pacientes com nós mesmos em relação a esta questão.

A maioria de nós usou corpos físicos milhares de vezes durante 
milênios de tempo. Felizmente, com um chakra da coroa aberto nós 
podemos novamente acessar uma sensação de bem-estar, unidade 
com toda a vida, abertura da mente e fé em nós mesmos e em nossas 
diretrizes superiores. Nós então podemos obter paz de espírito 
suficiente 
para ouvir ao nosso Eu Superior mais e mais frequentemente. É o nosso 
próprio Eu Superior que nos assistirá na reprogramação de nossas 
mentes para a aceitação diária e integração de nossa própria 
divindade. Quando nós nos mudamos, nossos relacionamentos 
mudam também.

Quando duas pessoas com os chakras da coroa limpos misturam suas 
energias, uma luz suave dourada enche suas auras, pois ambas as 
pessoas experimentam um sentido profundo de unidade e 
comunhão. Os três chakras superiores de ambas as pessoas se 
unem na comunhão/comunicação, pois a transferência de 
sabedoria é feita de terceiro olho para terceiro olho. Esta 
comunicação mútua é entendida através dos chakras da garganta 
e os chakras do coração. Esta linguagem mútua de amor comunica 
de uma maneira empática, telepática.

NÃO LIMPO: Depressão, uma sensação de confinamento, mente 
fechada, preocupação intensa, e ansiedade, tumores cerebrais, 
pressão craniana, dores de cabeça e enxaquecas, desordens mentais, 
problemas capilares e desordens do sono podem resultar de sétimo 
chakra não limpo. Pode também haver um medo de religião ou 
espiritualidade, frustração e poder não percebido, pouca alegria 
na vida, temor de coisas que não podem ser entendidas com os 
sentidos físicos e até esquizofrenia.

Quando o chakra da coroa de alguém está bloqueado 
uma cor muito desagradavelmente turvada e escura 
de caril mancha seu chakra da 
coroa e sua aura inteira. Quando nos comunicamos com essa pessoa, 
nós podemos experimentar uma sensação de formigamento e agulhadas 
em nossa própria coroa, e podemos sentir uma advertência de que é 
necessária a proteção psíquica. Quando duas pessoas se comunicam e 
seus chakras da coroa não estão limpos, muitas percepções 
errôneas e desentendimentos são comuns. 
Sua troca pode se tornar adversa sem 
meio evidente de entendimento ou comunicação efetiva.

CHAKRA DA TERRA: Diz-se que o sétimo chakra da terra é o Monte 
Fuji, no Japão. Tal como o chakra da coroa rege tanto a sensação de 
isolamento como de unidade, o Japão esteve isolado por muitos anos 
enquanto que a sociedade estava unida em si mesma. O Monte Fuji, 
ou Fujiyama (yama significa “montanha” em japonês) tem 
proporcionado uma base espiritual para o Japão desde os tempos 
antigos e as pessoas devotas enfrentavam dificuldades por dias em 
suas buscas para subir essa montanha sagrada. Essa montanha é um 
vulcão dormente com 3.776 metros de altura que é mundialmente 
conhecido por sua simetria e serenidade.

O Monte Fuji, tal como o chakra da coroa, recebe cada nova estação 
de um modo lindo e dramático. Na primavera, as cerejeiras 
florescem no sopé da montanha, seguidas pela floração das azáleas 
vermelhas, que anunciam a chegada do verão, e em julho, as rosas 
alpinas começam a desabrochar. No final de agosto, o verão termina 
e os Festivais de Fogo de Fujiyoshida comemora a chegada do inverno 
e o fim de todas as jornadas ao pico do Monte Fuji.

DIMENSÃO: Todas as dimensões são regidas por este chakra, pois ele 
representa nossa consciência multidimensional total.

RESUMO: Tal como muitos escalaram nosso Fujiyama pessoal para 
alcançar o pico, a abertura do chakra da coroa representa a 
culminação da jornada da Kundalini de nossa Raiz até o Lótus de 
mil pétalas na Coroa. Esta jornada representa a conclusão de um 
mundo e o começo de um novo. Esse mundo, claro, sempre esteve 
aí, mas nós nos esquecemos dele. Nós nos esquecemos de onde 
viemos e esquecemos a grande glória e complexidade de nosso 
verdadeiro EU.

A abertura do chakra da coroa representa o término de nossa 
capacidade de viver como uma vítima das ilusões de nossa vida 
física. Sim, nós ainda somos humanos. Nós ainda vivemos em nosso 
corpo físico e, portanto, estamos sujeitos à queda nos dramas de 
nosso eu separado e limitado. Entretanto, nós não vivemos mais 
nisso.

Nós beijamos o UM e ficamos com nosso Descontentamento Divino 
totalmente ativado. Esse “descontentamento” é como um farol do lar 
que nos empurra na direção de nossas frequências da energia 
fundamental. Agora os nossos Lares nas estrelas, em outras galáxias 
e em outras dimensões nos chamam continuamente e nos imploram 
para voltarmos. Isto é, voltarmos e ainda ficarmos; retornarmos ao 
Lar em nosso conhecimento e em nossa consciência e ainda 
permanecermos na terceira dimensão onde estamos ativamente 
vivendo nossa Missão.

Agora que nos lembramos de quem somos, estamos começando a 
lembrar de por que viemos para cá. Há uma Missão que todos nós 
temos em comum, que é aterrar as vibrações de nossos Lares nas 
dimensões superiores em nossas vidas diárias. Cada dimensão tem 
uma frequência de ressonância diferente. A frequência de 
ressonância é a frequência base ou frequência central. Em cada 
dimensão ou consciência pessoal há uma frequência de ressonância 
ou principal, ou faixa vibratória. Essa frequência é mais alta nos 
dias em que estamos cheios de amor e mais baixa nos dias em que 
estamos cheios de medo. Em outras palavras, nosso eu 
tridimensional flutuará em frequência de “sobrevivência” a 
“experiência culminante”.

Nossa frequência de ressonância pessoal, ou assinatura de 
frequência, normalmente é determinada e/ou medida pelas 
nossas ondas cerebrais. (As ondas cerebrais foram explicadas em
2.html ,
Abrir o chakra da coroa nos permite 
acessar nossas ondas Delta enquanto ainda estamos meio cientes 
de nosso corpo físico. Essas ondas cerebrais são o “farol do lar” 
que nos permite acessar os nossos EUs existindo em outras estrelas, 
galáxias e dimensões.

Assim que acessamos essas partes do nosso EU total, nós podemos 
desenvolver um relacionamento com elas. Esses EUs superiores 
nos permitem ver nosso mundo da perspectiva deles. Perceber 
a separação e limitação do mundo físico de uma parte de nosso 
EU que vive além da ilusão é o começo de nossa Consciência 
Galáctica.

Conforme nos comunicamos mais com essas partes 
dimensionalmente superiores de nosso EU, o véu entre os mundos 
começa a afinar, e nossa perspectiva de toda a vida é elevada 
acima da terceira dimensão. É assim que ficamos cientes das 
causas de nossos problemas que não são decorrentes da infância 
desta vida, mas são de outras vidas tri e tetradimensionais 
(normalmente conhecidas como “vidas passadas”) e também de 
outras realidades paralelas. Felizmente, nessa altura nós também 
podemos acessar o nosso EU para nos assistir no entendimento e 
integração dessa informação multidimensional.

Nossa conexão ao nosso EU maior, ou Alma, nos dá apoio e 
coragem para conscientemente nos lembrarmos da vida raiz 
em que nós experimentamos pela primeira vez o medo que tem 
ecoado por muitas outras vidas. Esta “primeira vez” que tivemos 
uma experiência negativa extrema normalmente cria um engrama 
que é como um tecido cicatricial em nossa Alma. Este engrama 
programa nossa Alma para recriar essa experiência várias vezes até 
ela ser resolvida. Assim que percorremos em nossa consciência as 
realidades em que esses padrões começaram, nós podemos invocar 
nosso Eu Superior para equilibrar essa dor e medo com Amor
 Incondicional.

Nossa Alma tem recriado essas situações vida após vida para que 
possamos ganhar mestria sobre essas emoções e situações. Assim 
que o amor equilibrou o medo, a nossa frequência de ressonância 
pode se elevar para TODAS as nossas vidas em todas as dimensões, 
épocas e localidades. Nós recebemos nossa conexão a este Amor 
Incondicional em base diária assim que nosso Coração Superior 
é aberto. Nosso coração físico ressoa à cor verde.

Essa parte do nosso chakra do coração rege nosso amor humano. 
O amor humano pode ser corajoso e generoso ou medroso e 
egoísta. Por outro lado, o nosso Coração Superior ressoa ao 
amor incondicional e compaixão. Nosso Coração Superior está 
localizado logo acima e na frente de nosso coração físico em 
nosso corpo etéreo tetradimensional. Nosso Coração Superior 
ressoa à cor rosa.

O amor incondicional é baseado na compaixão. Com esta 
compaixão, nós podemos amar incondicionalmente, aceitar 
incondicionalmente e perdoar incondicionalmente toda a vida. 
Não importa como espirituais ou autorrealizados, todos nós 
temos épocas difíceis em nossas vidas físicas. É nessas épocas que 
somos desafiados a aceitar o amor incondicional e a compaixão 
de nosso Eu Superior em nossa consciência física para que possamos 
receber seu amor e conforto. Fomos treinados que é divino sofrer. 
Agora temos que reescrever essa limitação para a verdade, que é 
que nós não precisamos mais sofrer porque nós SOMOS divinos.

É o nosso chakra da coroa aberto que inicia esse processo de 
“liberação do sofrimento”. O chakra da coroa é o centro do 
paradoxo – claro e escuro, conhecido e desconhecido. 
O grande amor da Luz Cósmica nos traz o Amor Incondicional e 
a grande escuridão do desconhecido pode trazer o Medo Enorme. 
Ficando no centro absoluto entre claro e escuro, conhecido e 
desconhecido, no centro do lótus de mil pétalas aberto, nós 
podemos ver que todos eles são meramente extremos diferentes 
na ilusão da vida física.

Da perspectiva de nosso chakra da coroa aberto, nós estamos em 
contato constante com a assistência e o entendimento de nosso eu 
pentadimensional. Portanto, ele pode nos dar entendimento, amor 
e compaixão para nos assistir quando ficamos com medo ou
 confusos. Com a assistência dele nós somos capazes de ver o 
grande quadro que nos permite lembrar que nós escolhemos entrar 
em nossa vida física para cumprir uma Missão. Nós ainda sentiremos 
as emoções de medo, raiva e tristeza porque estamos usando 
nosso vaso terreno. Entretanto, mesmo se ninguém em nossa 
realidade física possa ajudar, nós SEMPRE podemos receber de 
nossa própria orientação interior o que precisamos para 
completar nossa iniciação.

Cura Multidimensional é o processo de encontrar a causa original 
de todas as nossas “questões na vida”. Nós estamos revivendo essas 
questões várias vezes nesta vida e em outras vidas. Essas crenças 
principais da separação e limitação nos mantêm adormecidos e 
combatendo os mundos ao nosso redor e também em nosso interior. 
Quando podemos curar essas questões no cerne, isto é a primeira 
vida em que elas foram experimentadas, nós podemos mudar muitas 
de nossas realidades ao mesmo tempo.

Assim que a primeira experiência é curada, então os padrões que 
têm 
ressoado por muitas outras vidas podem facilmente ser vistos. 
Quando nós podemos perceber conscientemente os padrões de 
nosso comportamento, então podemos começar a nos “pegar 
no ato” para que possamos mudar. Entretanto, embora esses 
padrões irão diminuir, eles não sairão completamente porque são 
essas questões que estão ligadas à nossa Missão. As questões que 
temos trabalhado vida após vida são o núcleo de nosso serviço aos 
outros, ao planeta e ao nosso Eu Superior.

É por nos curarmos que podemos aprender a curar outros. Assim 
que encaramos nosso Lado Escuro, nosso medo diminui 
imensamente. Afinal, não é o “inimigo interior” que causa 
a maior ameaça? Esta liberação do medo nos dá coragem 
maior para continuar nossa própria cura pessoal e assistir na 
cura de outros e de nosso planeta. Todos nós escolhemos vir 
das dimensões superiores para cá a fim de assistir nesta 
grande época de transformação. Tal como tivemos vidas 
em que “caímos na escuridão”, nós também tivemos vidas 
em que estivemos em Iniciações Espirituais. Na conclusão dessas 
vidas espirituais nós conscientemente retornamos ao Lar, 
a uma dimensão superior.

Pela conexão, comunicação e profunda compreensão dessas 
“vidas de Iniciação” nós podemos acessar e nos lembrar do poder 
inato com que nascemos. Essas vidas poderosas também nos 
apresentarão aos nossos eus intergalácticos dimensionalmente 
superiores. Toda vez que interagimos com essas nossas partes 
superiores, nós fazemos o download de um pouco da faixa de 
frequência deles. Por exemplo, se nós temos uma bacia com gelo 
(nosso eu físico mais denso) e a submetemos ao vapor (nosso eu 
sem forma mais alto), o gelo virará água, que é a essência pura 
de ambos, gelo e vapor, e o ponto médio entre os dois.

Em outras palavras, as duas polaridades trabalhando uma contra a 
outra nos moverá para o ponto central, o ponto de apoio e o ponto 
de equilíbrio. Este ponto central é o ponto do poder porque é o 
ponto do qual podemos ver os dois lados. Ser capaz de ver os dois 
lados, os dois extremos, nos permite o desapego que cria a 
compaixão. A compaixão nos abre para os nossos mundos 
superiores porque ela nos liberta dos dramas de nosso eu físico. 
A compaixão nos eleva para fora da matriz tridimensional e para 
nossa perspectiva multidimensional. Então nós podemos ver as 
polaridades tri e tetradimensionais ao nosso redor sem ficarmos 
presos a elas. Nós então estamos “no mundo, mas não somos dele”.

Deste ponto central, somos livres para experimentar os mundos 
abaixo de nós (o gelo) e os mundos acima de nós (o vapor) 
enquanto permanecemos no centro (a água). O ponto central 
é o fluxo, o ponto de entrega – entrega à nossa Alma. Esta é a 
posição sem carga emocional, negativa ou positiva, que nos retira 
das restrições de nossas antigas crenças de separação e limitação. 
Dessa posição podemos entrar no fluxo, entregar ao AGORA, 
unir com a Unidade e permitir nossa Alma se tornar o Capitão 
do nossa Nave Terrena.

Quanto mais indivíduos capazes de manter este ponto central, 
mais todos nós experimentaremos a alteração do paradigma do 
materialismo para a espiritualidade, da limitação e separação 
para a Unidade, o estado de Aqui e o estado do Agora de nossa 
verdadeira natureza. Cada vez que algum de nós comunga com o 
Eu Superior e faz o download da ressonância dimensionalmente 
superior 
para o corpo físico, nós contribuímos não somente com a nossa 
ascensão 
pessoal, mas para a ascensão planetária também.

JUNTOS cada um de nós descobrirá a própria peça pessoal do 
quebra-cabeça e então a conectará ao todo. Então, como 
um planeta 
e como uma espécie, nós podemos criar o Céu na Terra.

O Sétimo Passo
Hoje eu sou a expressão mais pura de 
minha essência
em todos os momentos do sempre presente 
Agora.





Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...