Pesquisar este blog

Traduzindo

domingo, 8 de janeiro de 2012

O Menininho


Iniciando o trabalho terapêutico com uma mulher, listamos suas queixas e uma delas era uma fome que não tinha fim. 
Ela relatou que sentia fome o dia inteiro e assaltava a geladeira vezes sem conta. Mas a fome permanecia.

Trabalhamos com Terapia Multidimensional e vi a seguinte cena:

Um menininho de uns seis anos foi separado de seus pais durante a Segunda Guerra Mundial e era prisioneiro num campo  de concentração, junto com outras crianças pequenas. Sentia fome e frio todo o tempo e total desamparo. A paisagem era feia e fria, com o sofrimento estampado nas faces das crianças ali. Desencarnou depois de um tempo com essas sensações.  

A Equipe de Cura entrou nessa cena com sua presença amorosa e resgatou o corpinho frio e magro do menino. Após desintegrar a cena com luz azul, o menino foi instalado num quarto que deveria ser uma cópia de seu quartinho de antes.
Uma cama fofa e aconchegante o esperava.
Ver essa cena me emocionou muito e até hoje acontece o mesmo. 
A felicidade no rosto do menino não tenho palavras para descrever. 
Após a refeição, ele se deitou para dormir, entre os cobertores quentes. A expressão do rosto era de paz.

Nesse trabalho, uma das crianças feridas da história dessa mulher foi acolhida, cuidada e reintegrada ao seu Eu Maior. O resultado esperado é uma melhora significativa ou o desaparecimento da sensação de fome constante.

Angela Cunha 


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...