Pesquisar este blog

Traduzindo

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Nas Asas do Medo

Ele veio o consultório com a mãe. Ela tinha me achado através de uma vizinha que já havia sido atendida por mim.

Ele trabalhava em outra cidade e estava na casa da mãe, de onde tinha saído para assumir um cargo que havia conquistado e que era o sonho de sua vida. Trabalhava numa torre de controle aéreo há alguns meses.
Era jovem e bonito mas estava visivelmente assustado.
Sua vida até  assumir o cargo era tranquila. Nenhum transtorno emocional nem problemas maiores.

Desde o momento em que iniciou o trabalho na torre de controle aéreo começou a ter sintomas inexplicáveis. Transpirava abundantemente e seu corpo ficava em estado de alerta. Uma sensação de pânico o invadia e ele não conseguia respirar direito. Pensou estar com alguma doença grave. Fez exames de rotina que nada revelaram. Ele tinha medo que seus colegas percebessem e o achassem sem qualificações para o cargo. Não sabia o que fazer enquanto os sintomas aumentavam de intensidade. Pela manhã, ao se arrumar para o trabalho, a sensação de medo e perigo o invadia. Era desesperador. Seu superior decidiu adiantar suas férias atribuindo tudo ao stress do novo cargo e o aconselhou a aproveitar os dias para investigar tudo aquilo.

Sentado na minha frente ele dizia ter 25 dias para se curar ou teria que abrir mão de seu sonho. Havia reparado que, nos dias em que estava na casa da mãe, não tinha sentido os sintomas.

Fizemos Regressão de Memória, usando o método da Psicoterapia Reencarnacionista. Nesse método, não há direcionamento algum. O Mentor Espiritual da pessoa, ou seu Eu Superior direciona o trabalho, fazendo com que a memória ou lembrança necessária no momento seja acessada. 

Na primeira sessão, ele se viu com outra aparência, pilotando um avião. Parecia um ataque aéreo. Ele estava nervoso e com medo. Era muito jovem. Num certo momento algo deu errado, parece que o avião foi atingido e começou a cair. Todos os sintomas atuais estavam presentes ali. Ele os reconheceu. De repente, quase gritou: 

-Mas o lugar é o mesmo! O avião caiu ali onde estou trabalhando hoje! Estou vendo, alguém confirma isso para mim, estou escutando. Meu Deus, como poderia imaginar!!!!! Eu "morri" ali.
Conversamos depois sobre isso e ele não acreditava ser isso possível mas as imagens e sensações eram reais demais para ele. Fizemos mais 3 sessões. Os sintomas não apareceram mais enquanto esteve aqui.


E no final das férias, ele precisou voltar. 
Depois de dois meses mandou notícias.
Estava muito apreensivo ao retornar ao trabalho mas os sintomas não reapareceram. Ele ficava tenso e imediatamente lembrava do motivo e foi conseguindo lidar com isso. Até que a sensação de medo desapareceu totalmente. Soube há mais ou menos um ano por sua mãe, que ele estava bem e feliz no seu trabalho.

Angela Cunha



Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...